Meus Sermões

ADORADORES FAMINTOS
Êxodo 3:1-4

 

Introdução 
Amado, cada som e timbre de voz, inclusive o nosso registro pessoal de voz, tem uma função no mundo espiritual. Por isso que a Bíblia ensina tanto sobre o poder da língua, sobre o poder daquilo que falamos: 

O som das palmas declaram: “Tu és bom!" [quem pode bater palmas?] 

Os sons dos “aleluias” declaram: "Louvado seja o Senhor!” [quantos podem dizer “aleluia”?] 

Os pandeiros anunciam alegria; [como se toca pandeiro? ...é assim? ...faça isto com as mãos, forte! ...pandeiros anunciam alegria!] 

Os tambores, os tambores declaram guerra e festa; [onde está o adorador baterista? ...venha cá, irmão. Faz soar o tambor para a glória de Deus... aleluia! Tambores declaram guerra e festa]. 

Agora o shofar; o shophar anuncia a intervenção divina... [o som do shofar é assim... você consegue fazer? ...experimente, vamos!] 

Agora, preste atenção: vamos reunir esses sons e executá-los juntos, ao mesmo tempo, para a glória de Deus. Está bem? ...primeiro vamos nos organizar: 
Quantos podem fazer o som do shofar? 
Quantos podem executar o pandeiro? 
O tambor, vamos deixar com o baterista... 
O som dos “aleluias”, quantos poderão dar? 
E as palmas, quantos poderão bater palmas? 

Então ouça: Levante-se... depois que eu contar até três, você começa a louvar ao Senhor com todo o seu fôlego, está bem? ...preparado? ...1, ...2, ...3!!!!! 

A Bíblia diz que com alaridos, com voz de arcanjo e com trombetas, o Senhor descerá do céu (1 Ts 4.16). Aleluia!! 

Quero lhe dizer algo: Deus não consegue resistir a uma verdadeira e apaixonada adoração; Ele acaba quase sempre se manifestando... aleluia!! 

Temos vivido um tempo onde o clamor de todo adorador (aleluia!) realmente tem sido por mais, muito mais de Deus. Amém? ...Esse tem sido um tempo de adoradores famintos! 

Isso tem se evidenciado nas músicas que cantamos, nas ministrações nas Igrejas, nos encontros de adoração pelo Brasil afora... por toda a parte, tem se levantado o clamor “DEUS, EU QUERO É DEUS!!!!!! 

E eu quero dizer, que nesta noite aqui, neste lugar, encontra-se adoradores famintos, sedentos, desesperados, loucos, dependentes, extravagantes, insaciáveis, santos, radicais e todos, todos, apaixonados por Deus! Aleluia!!! 

Diga com toda a força do seu pulmão: “Eu, eu, eu quero é Deus!” [dê um aplauso forte ao Senhor!] ...Agora, diga para a pessoa ao lado: “Eu estou faminto!” 

Mas surge uma questão em meio a todo esse clamor: como distinguir adoradores famintos, daqueles que, infelizmente, estão querendo apenas “oba-oba”, querendo apenas pular, dançar, sentir arrepios, mas que não se levantam com a disposição para viver uma vida de santidade, uma vida de intimidade com Deus? 

Amados, quando lemos a Bíblia, percebemos algumas características daqueles que, realmente, estão sedentos e famintos por Deus, com uma fome de alma genuína. 

Mas gostaria de me deter na vida de Moises, e gostaria que você tomasse para a sua vida, alguns princípios deste adorador faminto, que foi Moisés, e que nos ensina a sermos adoradores famintos também. 

Quero que veja esse texto de Êxodo 3:1-4: “Cuidava Moisés do rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote de Midiã; e, levando o rebanho para o lado ocidental do deserto,chegou ao monte de Deus,a Horebe. Apareceu-lhe Anjo do Senhor numa chama de fogo, no meio de uma sarça; Moisés olhou, e eis que a sarça ardia no fogo e a sarça não se consumia Então, disse consigo mesmo: Irei para lá e verei essa grande maravilha; por que a sarça não se queima? Vendo o Senhor que ele se voltava para ver, Deus, do meio da sarça, o chamou e disse: Moisés! Moisés! Ele respondeu: Eis-me aqui!”. 

Desse texto, conforme disse, podemos tirar princípios que caracterizam a vida dos adoradores famintos: 

O primeiro princípio é esse... 
Se você quer mais de Deus, tenha fome por Ele! 
Às vezes estamos nos preocupando com muitas outras coisas que não tem nada a ver com a nossa paixão por Deus. 

Por isso, o primeiro princípio que devemos aprender é que se queremos mais de Deus, temos que ter interesse por Ele, temos que ter fome mesmo, por Deus. 

Temos que nos converter em adoradores famintos; em pessoas que sintam na alma fome pelas coisas de Deus; fome pela presença de Deus... temos que nos interessar por Deus e por Suas coisas! 

Moisés se interessou; ele queria ver aquela grande maravilha... 

O v.3 diz que, quando ele viu a sarça ardente, ele pensou: “Que impressionante, sobrenatural! ...vou ver isso de perto!” ...ele estava faminto!!!! 

Assim, nós também devemos nos interessar, totalmente e inteiramente, pelas coisas que dizem respeito a Deus. Precisamos ver de perto! 

Quando você diz “Eu quero é Deus”, você está provocando fome. ...vamos, então, dizer isto mais uma vez? “Eu, eu quero é Deus”! 

Diga à pessoa do lado: Você está começando a ficar mais faminto! 

O próximo princípio característico dos adoradores famintos é o seguinte... 
Se você quer mais de Deus, seja sensível à voz dEle! 
Temos que ser sensíveis à voz de Deus. [Diga: Tenho que ser sensível à voz de Deus!] 

Não podemos endurecer o nosso coração e fazer de conta que Deus não fala conosco (outro dia li isto: “Deus fala àqueles que tomam tempo para ouvi-Lo”). 

Nós temos que viver em intimidade com Deus, a tal ponto, que a voz dEle, a voz de Deus, seja totalmente desejável e reconhecida pelos nossos ouvidos. 

Diz aqui no v.4, que o Senhor viu Moisés se aproximando , e então, do meio da sarça, Deus chamou: “Moisés, Moisés”! ...e ele respondeu: “Eis-me aqui” ...estou aqui! 

Amados: Quando Deus nos chamar, pelo nome, como fez com Moisés, estejamos prontos a dizer também: “Eis-me aqui!” ...eis-me aqui, ó Deus, como um adorador faminto! [amém?] 

Diga depois de mim: “Senhor, eis-me aqui!” Aleluia!! 

E o terceiro princípio dos adoradores famintos, é... 
Se você quer mais de Deus, esteja disponível para Ele! 
Não basta apenas ouvirmos a voz de Deus, temos que dizer “sim” ao chamado dEle. 

Temos que nos dispor a fazer aquilo que Deus quer e não o que nós queremos. 

Para Moisés, Deus tinha o chamado para que ele se apresentasse a Faraó e tirasse o povo de Israel do Egito. 

É fato que Moisés não queria e questionou... mas por fim, ele é visto diante do Faraó do Egito e dizendo: “Assim diz o Senhor, o Deus de Israel: Deixe o meu povo ir...” 

Moisés havia se disponibilizado para Deus. Aleluia! 

Outra coisa que devemos lembrar sempre, é que Deus é soberano sobre tudo e sobre todos. 

Quando Moisés estava resistindo a obedecer, Deus disse: “Eu tenho um jeito para fazer você obedecer”. 

Lemos aqui na Bíblia que Deus colocou um bastão, uma vara, na mão de Moisés e lhe disse: “Leve esse bastão, pois com ele, você irá fazer milagres”! ...Deus é soberano! 

Por isso, quando Deus nos chamar para sermos ADORADORES FAMINTOS, Ele vai fazer com que sintamos essa fome do jeito dEle. 

Nós não podemos dizer como Deus deve agir. 

Mas já que foi Ele quem nos chamou para sermos adoradores, então Ele nos ajudará, pelo Seu Espírito Santo, a sermos adoradores e ADORADORES FAMINTOS! Amém? 

Conclusão 
Amados: 
Adoradores famintos, sentem fome de Deus; 
Adoradores famintos, são sensíveis à voz de Deus; 
Adoradores famintos, estão disponíveis para Deus. [quantos dizem “Amém”? 

Aleluia! 
Quantos adoradores famintos têm aqui? Oh!! Você vai sentir, de maneira palpável, a glória de Deus. Há uma unção tremenda nesta noite! 

Levante-se agora em seu lugar. Vamos oferecer adoração ao Senhor. 

Mas, antes, preste atenção: Nós agora somos adoradores famintos, estamos todos sedentos, desesperados, insaciáveis, loucos, extravagantes, santos, radicais e completamente apaixonados por Deus! Aleluia!!! 

Por isso, nesta hora, você será levado a um nível de adoração que sua alma ainda não experimentou e, que chega com gemidos, com gritos, pulos, danças e louvor!!! 

E ouça: quando a sua adoração chegar aos céus, você vai, como que flutuar, no meio de tanto poder. Amém? 

Então, feche seus olhos e louvemos a Jesus com esta canção [Digno, faixas 1-2 – CD2 “Resgatai a Noiva”]. 

...levante as suas mãos e comece a declarar: “Digno é o Cordeiro, que é santo, santo, santo, de receber, a glória, força, honra e todo poder. Porque é santo, santo, santo!” 


Pr Walter Pacheco da Silveira - Em “Adoradores Famintos”, 11/10/2003