Meus Sermões

CHAMADOS PARA GERAR FILHOS ESPIRITUAIS
Gênesis 1.28

“Tenham muitos e muitos filhos; espalhem-se por toda a terra.”

Introdução
O que você pode fazer para agradar muito uma pessoa? Fazer o que ela gosta!

Nos dias de hoje, como igreja, nós somos levados a agradar ao Senhor. E o que temos feito para agradar a Deus? Do que é que Deus gosta? Como e com o quê podemos agradar a Deus?

Será que palavras bastam? Será que é ouvir orações? Ou será que é ouvir música, música de louvor e de adoração dos Seus filhos?

A Bíblia revela o que Deus mais gosta: que novos filhos, que muitos filhos, sejam gerados para Ele.

Esta semana eu fiz uma pesquisa na Bíblia sobre essa expressão “muitos filhos”. Me despertei para o número de vezes que ela ocorre, umas 38 vezes.

Descobri que foi a primeira bênção que Deus ministrou ao homem... também percebi que Deus mesmo, é quem mais vezes usou a Expressão “muitos filhos” e que chegou ao ponto de falar à Abrão: “Olhe para o céu e conte as estrelas se puder. Pois bem! Será esse o número dos seus descendentes” (Gn 15.5).

E na minha meditação, veio à lembrança uma expressão do Novo Testamento, que Jesus usou muitas vezes. Era comum Jesus dizer aos discípulos: “escolhi [vocês] para que vão e dêem fruto e que esse fruto não se perca” (Jo 15.16).

Filho, fruto, muitos filhos, muito fruto... então, recorri a um bom dicionário e estava lá: fruto: filho, prole. Aí Deus me trouxe um entendimento: que nós somos chamados para gerar fruto, gerar filhos espirituais para Ele. E quais são os filhos, o fruto, que você tem gerado para Deus?

Deus revela esse Seu desejo de forma bem prática: Ele nos torna crentes com um foco.

Pessoas sem foco dão tiro para todo lado e não acertam em alvo algum, não alcançam nada, não constroem, não edificam nada. Elas não tem um foco. Por isso, pessoas assim vivem, mas não produzem frutos para Deus.

Deus tem foco, e o crente, como filho de Deus também tem foco, é natural. Deus tem um desejo: Que todos se salvem e cheguem ao pleno conhecimento da verdade!

Historicamente, houve um tempo, a igreja achava que apenas a santidade agradava a Deus. As pessoas eram salvas, santificadas e ficavam esperando Jesus voltar. Então, toda a teologia da época tinha a ver com isso: a pregação, os hinos, tudo tinha a ver com ter santidade para agradar a Deus.

Mas estava incompleto, pois agradar a Deus não é somente viver de modo santo, de maneira reta.

Então, em uma época mais tarde, a igreja entendeu que Deus procurava adoradores. E surgiu um mover de adoração. Muitos ministérios de louvor e encontros de adoradores vieram a existir. Mais ainda faltava algo.

O principal desejo do coração de Deus é ter filhos com os quais Ele possa compartilhar a Glória e a Sua Presença a presença de Deus está nas pessoas que são de Deus.

Mas a glória de Deus não deve ficar confinada em nós que já nos tornamos Seus filhos. Agora, a igreja precisa entender que Deus quer uma descendência numerosa, uma geração de muitos filhos.

Aquela aliança de Deus com Abraão está valendo para nós hoje! Deus quer filhos tão inumeráveis como a areia do mar, ou melhor, usando as palavras do texto, filhos tão inumeráveis quanto as estrelas do céu!

Deus disse para Abraão: “Olhe para o céu e conte as estrelas se puder”.(e Abraão deve ter tentado: “1, 2, 3, 4, 50, 100, 300, 980... e, perdi a conta ..1, 2, 3...!” e ele deve ter falado pra Deus: “Ah! Senhor, eu não consigo contá-las. Elas são inumeráveis!” Então Deus disse: “Pois bem! Será esse o número dos seus descendentes”.

O que agrada a Deus por demais é que eu e você nos multipliquemos em filhos espirituais.

Jesus disse que a natureza gloriosa do Pai é revelada quando produzimos muitos frutos (Jo 15.8, Ele falou: “Nisto é glorificado meu Pai, em que deis muito fruto”).

E o fruto do crente é outro crente! Qual é o fruto do gato? É outro gato... qual é o fruto do homem? É outro homem. Qual é o fruto do filho de Deus? ...é outro filho de Deus. Amado, onde estão os seus filhos espirituais?

Jesus pagou um preço tão alto para compartilhar Sua Glória conosco!

Que preço você está pagando para entregar a Deus os seus filhos na fé, filhos espirituais, filhos nascidos do seu esforço, nascidos do seu próprio trabalho de parto, nascidos da sua dor? Que preço você está pagando para entregar a Deus aquilo que Ele mais gosta?

A esterilidade tem que ter um motivo. Vou mencionar alguns motivos de esterilidade:

Primeiro:
1. Uma completa falta de conhecimento do Senhor
Quando o crente não dá fruto, quando não gera filhos para Deus, isso é devido, em primeiro lugar, à falta de conhecimento de Jesus.

Não gera porque não conhece Jesus. Tem uma visão limitada de Jesus. Tem um conhecimento superficial de Jesus. Não conhece os Seus desejos, os Seus anseios, a Sua vontade... Está sem contato com Jesus, mas para haver fruto, tem que haver contato.

Eu me lembro de certa vez, indo para Travessão de Barra, interior de Campos, ter visto uma cena curiosa: No meio de uma plantação de maracujá, estava um grupo de homens e mulheres no rigor do sol, esfregando o dedo numa flor e depois em outra e mais outra... faziam isso de flor em flor de maracujá. Eu fiquei admirado com aquilo e não entendi nada. Então uma pessoa me explicou: na falta de mamangava, aquele inseto grande e abelhude, eles estão indo com o dedo, para fazer contato com a flor para que ela fique polinizada, fecundada, porque desse contato vai ser gerado novos frutos.

Então, quando o crente está distante de Jesus, ele não pode gerar fruto, porque precisa ter contato para o fruto ser produzido.

Decorrente disso, vem o segundo motivo para a esterilidade:

2. A falta de intimidade com o Senhor
Filhos são fruto de intimidade!

Todo mundo aqui sabe que o homem tem uma semente que colocada dentro da mulher fecunda o óvulo, daí é gerado um fruto, uma criança, um filho! Um filho nasce da intimidade do casal.

Por isso, podemos até conhecer Jesus, mas se não buscamos intimidade com Ele, então haverá ausência de fruto. Ninguém concebe sem intimidade. Crentes sem intimidade com Jesus não dão fruto.

E como buscamos essa intimidade? ...é orando, é lendo a Bíblia, é adorando... agora, não podemos fazer isso uma vez por semana nos cultos ou nas células. A intimidade não surge num momento apenas. Não, ela é resultado de encontros freqüentes.

E ainda assim, não são encontros que tem muito bla-bla-blá e pouca substância. Muitas pessoas participam do culto, cantam, oram, dançam, pulam, mas sem nenhum envolvimento espiritual com aquilo que estão fazendo – isso não produz intimidade.

Ensina a psicologia que a intimidade surge quando as pessoas são capazes de se comunicar aberta e honestamente, dividindo não apenas carinho, mas segredos, os pensamentos mais íntimos…

Sabe, igreja, nós precisamos viver buscando a intimidade de Deus. O Quarto de Escuta é para isso, o encontro da célula é para isso, os cultos da igreja toda é para isso e é para nos envolvermos por inteiro.

Se mergulharmos na presença de Deus e dividirmos com Ele os nossos pensamentos mais íntimos, então, ganharemos intimidade e através dessa intimidade conceberemos muitos filhos espirituais para Deus.

...outro motivo para a esterilidade é a:
3. Enfermidade
Existem três doenças que podem causar esterilidade espiritual:

1) Uma vida egoísta: ser um cristão egoísta, que leva em conta apenas o bem-estar próprio, que só pensa na sua satisfação.
Quem disse que temos de ter tudo, e do jeito que projetamos? O egoísmo é uma doença que não permite a geração de novos filhos para Deus.

A célula combinou uma caminhada de oração, é para abençoar a comunidade, é para repreender o espírito da incredulidade do lugar, da indiferença espiritual do lugar. O cristão egoísta diz: “Humm, que chato... vou cansar meus pés, minha sandália pode arrebentar...”.

2) Outra doença que impede a geração de filhos para Deus é a gravidez abortiva.
Me refiro à falta de paciência com o novo convertido. Um novo filho espiritual está sendo gerado. O nome dele aparecia na Lista de Bênçãos da célula, ele começou a participar da célula, em outro dia até levantou o braço no culto da igreja, mostrando sua decisão de seguir a Cristo, mas em cima da mesa na casa dele, ta lá a carteira de cigarro, latinha de cerveja na geladeira... no porta luva do carro, ta lá o baralho, os CD´s de música de mau gosto e você pára pra conversar escuta dele certos palavrões... aí você se enerva, se enche de impaciência e começa a cobrar coisas do novo crente que ele ainda não sabe, ainda não descobriu e não aprendeu...

Irmãos, muitas vezes queremos que o novo convertido se torne crente, transformado e liberto do dia pra noite. Aí nos apressamos... queremos nos mover mais rápido que o Espírito Santo, cobrando novo vocabulário, novos hábitos...

Nós crentes mais velhos, precisamos ser pacientes com novos crentes. Amém?

3) E a terceira doença é a gravidez falsa.
Isso acontece. É uma doença psicológica. Ocorre quando mulheres com desejo intenso, desejo crônico de engravidar, passam a desenvolver sintomas de gestação. O próprio útero cresce, dando a falsa impressão de que há um feto em seu interior.

Espiritualmente, ao invés de gerar filhos espirituais, existem muitas coisas que o crente se apega, e não abre mão e essa coisa passa a ocupar o espaço do seu útero, dando a sensação de gestação, sensação de geração de fruto. Mas é só impressão. É gravidez espiritual de mentirinha.

Isso ocorre quando o crente tem sempre outras prioridades: ...ele quer muito ganhar almas pra Jesus. Tem um desejo ardente de gerar fruto para Deus, mas fica em casa, lê um livro, assiste um filme sozinho, cuida da casa, do jardim... Tem até os sintomas da gestação, mas vive passando por alto do foco de gerar filhos para Deus, porque nunca tem tempo para fazer amizade com não crentes... não tem tempo para gerar.

A esterilidade pode ter ainda um outro motivo:
4. O egoísmo
Crente que tem intimidade com Deus, que toca na presença de Deus, que conhece a Deus, mas é egoísta, não produz fruto espiritual.

Abraão levou décadas tentando gerar. Ele era um adorador, andava em retidão, era um homem de obras, era bondoso, era cheio de cuidados. Mas a Bíblia não põe foco nisso.

Deus está interessado em que filhos sejam gerados e nessa proporção de Gn 15.2: inumeráveis como a areia do mar, inumeráveis como as estrelas do céu.

Mas Deus precisou tratar o egoísmo de Abraão, mandando que ele sacrificasse sobre o altar a Isaque, o filho da promessa. Deus disse: “Pegue agora Isaque, o seu filho, o seu único filho, a quem você tanto ama, e... queime o seu filho como sacrifício” (Gn 22.2). Era uma prova, um tratamento que Deus aplicava em Abraão, pedindo aquilo que lhe era mais caro.

Irmãos, se formos egoístas, não iremos gerar novos filhos na fé... vai ter jejum combinado na célula, e você não vai se envolver... o líder vai pedir pro pessoal fazer contato com não crentes da Lista de Bênção durante a semana, e você não vai estar nem aí... a célula vai convidar os amigos para um churrasco e você não se interessa (pelos amigos incrédulos, pelo churrasco, sim).

Esse egoísmo tira o poder de multiplicação da célula. Ele remove a sua capacidade de gerar filhos espirituais.

Conclusão
Irmãos, onde estão nossos filhos espirituais?

Porque gerar novos filhos para Deus é a nossa missão, é o foco da nossa vida, mas por vários motivos se adquire a esterilidade: a falta de conhecimento de Jesus, a falta de intimidade com Jesus, a enfermidade e o egoísmo da alma humana.

Porém, nesta manhã, desafio você a ter filhos espirituais, filhos na fé, filhos que sejam gerados por você mesmo, crentes novos, que sejam fruto da sua dor, fruto das suas lágrimas, do seu esforço, do seu próprio trabalho de parto.

Você já presenciou um parto? ...alguns não têm essa coragem! É um momento tenso, exaustivo, de dor e cansaço, mas que logo é maravilhosamente recompensado com o nascimento do bebê. Aí então, a alegria toma conta de todo mundo... alegra-se a equipe médica, a enfermaria, e o pai... e a mãe então?! A emoção é indescritível!

Eu desafio a você, como crente que quer agradar a Deus, gere filhos espirituais para Ele! Hoje à tarde mesmo, reveja a sua lista de oração, escolha uma pessoa pra você investir na vida dela, alguém pra você se achegar mais, conversar, brincar, testemunhar de Jesus – alguém por quem sofrer dores de parto para o novo nascimento... busque agradar a Deus.

E eu estou profetizando: a Igreja Central vai fazer assim, vai agradar a Deus, vai ter dois cultos e serão dois cultos superlotados de gente nascida de novo, que foi gerada, concebida para Jesus!

Porque o que Deus mais se agrada é que novos filhos sejam gerados para Ele.

Quantos crêem nessa palavra? Dêem um forte aplauso ao Senhor, e enquanto aplaude, diga: Glória a Deus! Diga mais forte ainda: Glória a Deus! Aleluia! Louvado seja o nome do Senhor!

Pr Walter Pacheco da Silveira, (ministrado na manhã de domingo, 14.9.2008, à Igreja Batista Central em São Fidélis, RJ).