Meus Sermões

CINCO ALIANÇAS COM DEUS
Salmo 76.11

 

“Fazei votos e pagai ao Senhor, vosso Deus...”. RC

“Façam votos ao Senhor, ao seu Deus, e não deixem de cumpri-los...”. NVI

“Dêem ao Senhor, nosso Deus, o que vocês prometeram...”. NTLH

 

Algumas pessoas rejeitam a idéia de fazer votos, de fazer aliança com Deus.

Mas na Bíblia en­contramos muitos homens e mulheres que fizeram alianças, fizeram pro­messas, fizeram votos e compromissos com Deus.

 

E honrando os votos que fizeram, todos se tornaram abençoados.

 

O salmista, lemos no Sl 56.12, não tinha qualquer problema com fazer votos. Ele até disse: "Ó Deus, eu te darei o que prometi”.

 

Deus até ordena que votos sejam feitos pelo Seu povo.

Está escrito no Sl 76.11: “Fazei votos e pagai ao Senhor, vosso Deus”.

 

Fazer um voto com Deus é uma promessa, é firmar um compromisso, uma aliança... é um ato solene que nos nos impulsiona a harmonizar o nosso coração, a nossa vida, com a vontade de Deus.

 

E isto é agradável a Deus... Ele deseja muito que experimentemos como é boa, agradável e perfeita a Sua vontade.

 

Tem um verso na Bíblia que diz: “Provai e vede que o Senhor é bom” (Sl 34.8).

 

Mas, muitos crentes que comecam bem esse projeto [o projeto de andar na vontade de Deus], não prosseguem com ele, páram no meio, por falta de voto, falta de aliança.

Quantas vezes colocamos no coração: “Esse ano, vou ler a Bíblia todos os dias!” ou “Daqui para frente, serei um dizimista fiel”. Ou ainda: “A partir de hoje faço o propósito de servir a Deus com o melhor que eu tenho”. Ou ainda: “Tomo a decisão de romper com esse pecado na minha vida, porque a partir de hoje eu quero ser santo, ser puro!”

 

Mas lá no meio do caminho, paramos com o projeto... a idéia foi boa, mas desistimos, por falta de voto, de aliança...

 

Quero dizer que se você está realmente interessado em fazer a vontade de Deus, se estiver determinado a isto, será bom fazer certos votos e se empenhar por cumprir esses votos.

Ah! Mas e se acontecer de eu falhar? ...então aconselho que você se prostre em humilhação, que se arrependa e comece de novo a cumprir sua aliança com Deus.

 

Isso é melhor do que rejeitar o compromisso com Deus e viver fora da vontade dEle.

 

Há crentes que dizem: “Não quero fazer voto nenhum... eu quero é ser livre!”

Afirmo que por trás dessa rejeição à votos, dessa rejeição deles à alianças com Deus, o que eles querem mesmo é serem vadios, é serem malandros, é serem livres até de Deus!

 

Que exista tal malandragem no mundo, mas dentro da igreja, dentro do Reino de Deus, não pode haver pessoas que não queiram compromisso com coisa alguma!

Ah! Mas Deus seja louvado... tem aquelas pessoas que se aproximam reverentemente de Deus, admitindo que em sua carne não habita bem algum.

Estas sabem que, sem o poder de Deus, qualquer voto feito por elas, será quebra­do antes do sol se pôr... então elas se apressam a buscar o poder do alto, se apressam a receber ajuda do Espírito Santo.

 

Esse é o motivo porque você pode fazer alianças com Deus... visto que você crê em Deus, o Espírito Santo está com você e Ele é seu Ajudador!

 

Fazendo aliança com Deus, e honrando essa aliança, você só será abençoado!

Ora, se você faz o voto de viver em conformidade com a vontade de Deus, o resultado só será o que há de melhor para você.

 

Tem várias partes na Bíblia que dizem assim: “O SENHOR é justo e bom” (Sl 25.8); “O Senhor dá força ao seu povo e o abençoa, dando-lhe tudo o que é bom” (Sl 29.11). “Pois o SENHOR é bom; o seu amor dura para sempre, e a sua fidelidade não tem fim” (Sl 100.5). [aplauso]

 

Há cinco votos que tenho em mente, foram ensinados por A.W. Tozer no século passado, mas que será bom fazer e cumprir nesse tempo, a fim de experimentarmos o melhor de Deus na nossa vida.

Quais são esses cinco votos que todos devemos fazer?

 

Primeiro Voto: Trate Seriamente com o Pecado

O pecado tem sido disfarçado nestes dias... tem recebido nomes mais leves, mais enfeitados.

Hoje, quase não se fala de convicção de pecado... se fala em complexo de culpa.

 

Tudo isso é ridículo, porque o pecado continua sendo o mesmo antigo inimigo da alma de sempre.

 

Precisamos tratar o pecado em nossa vida com firmeza... vamos lembrar que em Ez 18.4, 20 está escrito: "A alma que pecar, essa morrerá".

Por isso, todo pecado deve ser tratado seriamente... deve ser identificado e renunciado.

 

Se você é invejoso, chame o seu pecado de inveja... se você tem a tendência de pegar para você aquilo que não é seu, chame esse pecado pelo que ele é: roubo.

 

Alguns amenizam. Cometem o pecado e dizem: “Ah! Foi só um deslize... foi só um descuido!” Foi não. Foi pecado mesmo.

 

Também tem a murmuração.

Se você vive murmurando, admita isso.

 

Há pessoas que lembram aquela hiena de um desenho animado antigo que vivia falando: “ó dia, ó vida, ó azar!”. Muitos crentes conseguem ser tão irritantes como a velha hiena.

 

Ouvi falar de um pregador que vivia num estado de irritação furiosa a maior parte do tempo. Quando pregava, ele agia como uma galinha lançada fora do ninho: gritava, esbravejava... e um menino, vendo aquilo, até comentou com a mãe: "Mamãe, o que vai acontecer com a gente se aquele homem escapulir lá de cima"?

Ora, se você tem pecado, precisa tratar seriamente dele... Cristo morreu na cruz por causa do nosso pecado!

 

Faça essa aliança com Deus – o compromisso de tratar, todos os dias, seriamente com o pecado.

 

Segundo Voto: Não Seja Dono de Coisa Alguma

Com isso, não quero dizer que você possa possuir coisas, ter coisas... o que quero dizer é que devemos ser libertos do desejo de possuir coisas.

Todos os bebês nascem com as mãozinhas fechadas, parecendo dizer: "Isto é meu!" ...uma das primeiras coisas que as criancinhas aprendem a falar é exatamente isto:  "meu, minha", e com voz irada.

 

Mas esse senso egoísta de "isto é meu!" é prejudicial ao nosso espírito.

 

Deus permite termos algumas coisas: um carro, uma moto, um negócio, uma profissão, mas qualquer que seja essa coisa, entenda que ela, na verdade, não é sua, mas de Deus.

 

Nós estamos apenas trabalhando para Ele...

Mas, quantos filhos de Deus estão apegados às coisas e morrem de preocupação em perdê-las, em ficar sem elas!?

 

Alguns estão ficando para trás, porque existe uma bola de ferro... essa bola de ferro tem o nome de apego material.

 

Você deve fazer aliança com Deus... faça o voto de não ser dono de coisa alguma, porque, de fato, você não é mesmo!

 

Terceiro Voto: Nunca se Defenda

Todos nascemos com o desejo de se defender.

Se você insiste em defender a si mes­mo, Deus permitirá que você a si mesmo se defenda. Porém, se você entregar a sua defesa para Deus, Ele é quem defenderá você.

 

Deus falou pra Moisés certa vez: "Serei inimigo dos teus inimigos e adversário dos teus adversários" (Ex 23.22).

 

Que maravilhoso é isso! Não temos de lutar... o Senhor é Quem luta por nós!

Deus falou: Ele será o Inimigo dos nossos inimigos e Adversário dos nossos adversários!

 

Se você tem Deus, você não precisa defender a si mesmo.

 

O que defendemos?

Bem, defendemos o nosso serviço, defende­mos a nossa reputação...

Reputação é aquilo que os outros pensam a nosso respeito...

 

Nós falamos: e se surgir al­guma história sobre mim? ...a grande tentação é correr para pôr fim à ela.

Mas é inútil... tentar encontrar o início da história é como tentar achar o passarinho cuja pena encontramos caída no gramado. Você não conseguirá.

 

Porém, se você se voltar completamente para Deus, Ele te defenderá e providenciará para que ninguém cau­se dano a você.

 

Como está escrito: "Toda arma forjada contra ti, não prosperará", diz o Senhor... para sua felicidade, firme com Deus o compromisso de não se defender.

 

Quarto Voto: Nunca Passe Adiante Algo que Prejudique Alguém

Lemos em 1Pe 4.8: "O amor cobre multidão de pecados".

Se você sabe alguma coisa que possa ferir a reputa­ção de um dos filhos de Deus, não passe isso adiante, porque eles são filhos de Deus.

 

Muitas vezes, a gente não tem nada a ver com a história, e alguém chega como jornalista, só passando notícia: “Sabe o irmão fulano? É, hoje eu soube que ele...”.

 

Nem sintonizado no canal de notícias a gente estava, mas esse tipo de pessoa aparece como o Plantão do Jornal Nacional, numa hora que não se espera... Às vezes, imagine, até pedindo oração: “Irmão, nem te conto. Precisamos orar por fulano. Você sabe que ele...”.

 

Quando alguém se aproximar de você com alguma história maledicente sobre um irmão,  aplique o Método das Três Peneiras... conhece esse método?

A primeira é a da VERDADE. Você tem certeza de que o que vai me contar é absolutamente verdadeiro? Se não tem, então a sua história já vazou pela primeira peneira.

 

A segunda peneira é a da BONDADE: O que você vai me contar é uma coisa boa, que deixaria você feliz se fosse dito a seu respeito? ...se não é, sua história vazou a segunda peneira.

 

Vamos ver a terceira, que é a da NECESSIDADE: O que você vai me contar é necessário passar adiante? ...se não é, então vazou pela terceira peneira também!

 

E é isso: se não sobrou nada do que a pessoa tinha para contar, então mude de assunto.

 

Sugira que ela cave um buraco no chão, e sepulte ali, aquela história, dizendo: "Aqui jaz em paz a história sobre o meu irmão". Deus tomará conta daquela história.  

 

Quinto Voto: Nunca Aceite Qualquer Glória

Glória é a majestade e o brilho que acompanha a revelação da presença e do poder de Deus. Deus é glorioso, isto é, a presença dEle é adorável, digna de ser reverenciada, honrada.

Mas, receber isso em lugar de Deus, é uma inclinação da natureza pecaminosa do homem – gostar de ser tratado como celebridade, ser reconhecido, ser ilustre.

 

No reino de Deus, quantos querem servir ao Senhor, só para serem vistos, serem admirados, reconhecidos, aplaudidos!?

 

Quantos que servem a Deus, mas querem que todo mundo fique sabendo que eles estão servindo ao Senhor... estão buscando glória, reconhecimento!

 

Jesus abriu mão disso! ...tinha um trono no céu, um manto real, mas deixou tudo para vir à essa terra que pisamos.

 

A Bíblia conta da purificação que o Senhor fez no templo. Ele disse: “A minha casa será chamada de ‘Casa de Oração’.” Mas vocês a transformaram num esconderijo de ladrões!” (Mt 21.13).

Ora, nada havia de errado com aqueles homens que vendiam e compravam ali... aquilo tinha de ser fei­to, afinal, o sacrifício de animais dóceis, indefesos, fazia parte do culto daquela época.

 

O pecado daqueles homens, entretanto, estava no fato de fazerem isso para ter lucro pessoal, para ter vantagem pessoal... eles ganhavam uma porcentagem, ganhavam dinheiro para si mesmos, ao servirem ao Senhor.

 

E essa foi a questão: Quem serve por uma vantagem pessoal, por um pouqui­nho que seja de glória, é um cambista, um comerciante, e por isso Jesus os expulsou do templo.

 

Se você está servindo ao Senhor e talvez, inconscientemente, espera ter um reconhecimento, alguma vantagem pessoal, cuidado!

Esse é um terreno perigoso...  Jesus falou que quem se exaltar será humilhado; Mt 23.12: “Quem se engrandece será humilhado...”.

 

E Deus falou pela boca do profeta Jeremias (9.23-24): “Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem se glorie o forte na sua força; não se glorie o rico nas suas riquezas. Mas o que se gloriar glorie-se nisto: em me conhecer e saber que eu sou o Senhor”.

 

Por isso, determine que nunca irá aceitar qualquer glória para si mesmo, mas que vai cuidar para que Deus somente, receba toda a glória. Amém?

 

Conclusão

Esses cinco votos necessitam ser escritos em nosso próprio sangue.

É muito simples apresentar uma mensagem como esta, mas o realmente di­fícil é pôr isso em prática em nossa própria vida.

 

Esses cinco votos, essas alianças com Deus, não são alguma coisa para se ter escrita na capa da Bíblia e, depois, se esquecer deles.

 

Não, essas cinco alianças com Deus, necessitam ser escritas em nosso próprio sangue... Têm de ser votos finais, irrevogáveis, que nunca se anulam.

 

Muito de nos­sa consagração é assim, apenas superficial. Mas não pode mais ser assim. Não! Que esses votos venham das profundezas do coração!

Firmar esses votos, essas alianças com Deus, é trazer a cruz para a nossa vida. E quem toma a cruz, não pode recuar...

 

Quando um homem toma a cruz, já disse adeus ao que era velho... aquele que toma a cruz nunca retorna.

 

Ao fazer esses votos, lembre-se que a cruz foi introduzida na sua vida... e ela vai ferir o seu ego, ela vai ferir o seu eu, ela vai ferir a sua vontade... haverá morte, porque cruz é lugar de morte!

Muitas pessoas são como um coelho que conta com doze buracos de saída, para que, no caso de um ser obstruído, poder fugir por outro! Não, da cruz não há lugar para se fugir.

 

Se você, por acaso, for um daqueles sobre quem o Espírito Santo está tocando agora, para uma vida mais profunda, para uma vida mais poderosa, para uma vida mais plena, então eu pergunto se você está disposto a fazer uma oração, uma oração como esta: "Oh! Deus, que o Senhor receba a glória, mesmo à minha custa, mesmo que eu sofra, mesmo que eu arque com as conseqüências, mesmo que eu morra...".

 

Esse tipo de oração é simples, mas é pro­funda, maravilhosa e poderosa. E eu creio, se você puder fazer uma oração como essa, ela será a rampa de onde você poderá ser lançado às maiores alturas e aos céus mais amplos nas coisas do Espírito Santo.

 

Pr Walter Pacheco da Silveira. Fonte: A.W. Tozer, 2.2.2008