Ilustrações Ilustrações U

Unção

 

Rachel Hickson é uma missionária que dirige uma igreja em Londres. Em maio de 2000 ela tomou um avião para a Noruega. Ao seu lado, sentou-se um homem. Puxando conversa, ela perguntou-lhe para onde estava indo. Ele então disse que estava deixando a Inglaterra e a organização ao qual estava ligado porque não conseguira trabalhar. Sem entender direito, a missionária perguntou-lhe qual era o seu trabalho. "Sou feiticeiro, e alguma força estranha está me impedindo de realizar meu trabalho neste lugar. Meu espírito está fraco, a atmosfera está pesada". A missionária sabia de que força aquele homem estava falando. Ela lembrou-se do M25, um grupo de crentes que ora incessantemente por Londres. Tal como M25 é uma via que circunda Londres, as orações do grupo estão cercando aquele lugar impedindo, assim, que forças do mal invadam a cidade e o país. (Revista da Campanha de Missões Mundiais 2001).

 

O pecado invalida a unção.

 

Um pregador ministrou à igreja uma palavra sobre a unção. Disse que ela possui três características: a primeira é a coragem para fazer o diabo ficar no seu devido lugar: debaixo dos nossos pés. A segunda conseqüência da unção é o amor por aquele que não merece. E a terceira característica que o pregador apontou, foi a graça, simpatia.

 

"Quando a igreja se torna mundana e o mundo se torna igrejeiro, a igreja perde também o respeito quanto o poder de Deus", escreveu Greg Barkman em artigo publicado na revistinha "Fé Para Hoje", da editora FIEL, em "Fé Para Hoje", pg 18 - Nº 12/2001).

 

O que Doug Fields disse a respeito do ministério com jovens, é também válido para outros ministérios. Ele declarou: "A boa saúde de um ministério com jovens começa quando levamos a sério o poder de Deus em nossa própria vida espiritual". Isto é unção. Ela é necessária! (Doug Fields, em Um Ministério Com Propósitos - Editora VIDA-, pg 19).

 

Uma vez eu e Tânia tivemos uma experiência com óleo. O meu sogro trouxe da roça uma jaca para nós, madurinha! Eu parti a jaca ao meio. Tânia se pôs a retirar os favos com as mãos - quem conhece jaca, é capaz de imaginar o que aconteceu! aquela cica ou cola, da jaca, grudou nas mãos terrivelmente. O grude não saía; sabão e água não resolviam. Então, uma hóspede que passava conosco, indicou: "derrama óleo que sai..." Valeu!! Há coisas que só óleo, só com unção!!

 

Na unção do Espírito todos trabalham.

 

O pecado é a rachadura por onde a unção vai sair.

 

Faz algum tempo encontrei, não me recordo onde, uma descrição bastante vívida do apóstolo Paulo: "...um homem de estatura mediana, cabelos crespos, pernas finas e abauladas, olhos saltados, sobrancelhas grossas, nariz comprido e lábios grandes". Que importava? O que conta é a unção.

 

A Convenção Batista Brasileira distribuiu aos pastores de suas igrejas o livro "Vida Total da Igreja", de Darrel W. Robinson, que fez a seguinte declaração sobre o poder de Deus no culto da igreja: "Seja tradicional, contemporâneo ou misto o estilo usado no culto, é o espírito de amor por Cristo e pelas pessoas, cantar com o coração sincero, abertura ao comando do espírito Santo e o desejo verdadeiro de comunhão com o Pai que concedem ao culto o seu poder" [a sua unção]. (Darrel W. Robinson, em Vida Total da Igreja, pg 65).

 

Lembre-se que "lata vazia só faz barulho". Há muita gente por aí querendo se impor no grito. Mas não é o grito, mas unção que...

 

Alguns crentes funcionam como autênticos soldados do Corpo de Bombeiros. A mais pequena chama do Espírito que vêem acesa na igreja, apressam-se logo à apagá-la. A Bíblia diz para não extinguir o Espírito!

 

As distrações, brincadeiras e conversas paralelas durante o culto são verdadeiros "ladrões de unção".

 

Ninguém sobrevive de estoque em sua vida espiritual. Não existe uma espécie de “crente-camelo” que enche o tanque e agüenta quarenta dias no deserto! (Luciano Subirá). 

 

O mundo hoje requer uma igreja que trabalhe no poder do Espírito Santo.

 

Certa manhã, meu pai, muito sábio, convidou-me a dar um passeio no bosque e eu aceitei com prazer. Ele se deteve numa clareira e depois de um pequeno silêncio me perguntou: - Além do cantar dos pássaros, você está ouvindo mais alguma coisa? Apurei os ouvidos alguns segundos e respondi: - Estou ouvindo um barulho de carroça. - Isso mesmo, disse meu pai, é uma carroça vazia... Perguntei ao meu pai: - Como pode saber que a carroça está vazia, se ainda não a vimos? Ora, respondeu meu pai. É muito fácil saber que uma carroça está vazia por causa do barulho. Quanto mais vazia a carroça maior é o barulho que faz. Tornei-me adulto, e até hoje, quando vejo uma pessoa falando demais, gritando (no sentido de intimidar), tratando o Próximo com grossura inoportuna, prepotente, interrompendo a conversa de todo mundo e, querendo demonstrar que é a dona da razão e da verdade absoluta, tenho a impressão de ouvir a voz do meu pai dizendo: "Quanto mais vazia a carroça, mais barulho ela faz..." 

 

Quando você está a caminhar com Cristo, os outros sentirão que Ele está contigo.

 

Pastor Cesar Castellanos, disse em Portland, Oregon, USA, em conferência: "Hoje as pessoas querem receber a unção pela Internet mas a unção transmite-se por contacto direto". Fonte: modelodos12@yahoogrupos.com.br 

 

Já que chegou até o Calvário, irmão, chegue agora ao Pentecostes!

 

Li esta frase num boletim evangélico: "100% de oração, 100% de poder".

 

"Acenda o fogo em você, vá até a sociedade, e deixe que eles vejam você se queimar." John Wesley 

 

John Hyde, em congressos especiais para pastores, costumava perguntar: "Pastores, o Espírito Santo tem o primeiro lugar nos vossos púlpitos?" A pergunta é pertinente.

 

A bebida dos homens é anunciada no Brasil com uma mensagem de alerta que diz: "Aprecie com moderação". A bebida do Espírito é anunciada na Bíblia, assim: "Enchei-vos".

 

De acordo com a Bíblia, o Espírito Santo produz nos crentes, reações como: tremuras no corpo, ondas de arrepio (Sl 119.120), choro (Ne 8.9), êxtase ou arrebatamento de sentidos (At 22.17-18), e podem até entrar num estado que parece embriaguez, com riso, balanço (1 Sm 1.12-17; 19.23-24).

 

As pessoas não entram no mover de Deus ao mesmo tempo. Algumas preferem esperar para ver o que os outros vão fazer, para depois entrar. O importante e que entrem e não quando entram. - Ana Mendez.

 

Se o próprio Cristo só iniciou sua pregação depois de ter sido ungido, nenhum jovem deve pregar enquanto não tiver recebido a unção do Espírito Santo. - F. B. Meyer 

 

A maior necessidade de nossos dias é Poder do Alto. - C. G. Finney 

 

Dois homens foram convocados a recitar o Salmo 23 perante um auditório. Um deles era um orador famoso e respeitado, especializado em dramatizações. Ele recitou o Salmo de maneira comovente. Quando terminou, a platéia o aplaudiu de pé e pediu bis, para ouvir novamente sua bela voz e apreciar sua récita. Depois, foi a vez do outro homem, que era bem mais idoso, e ele repetiu as mesmas palavras: " Senhor é o meu pastor...". Quando terminou, não houve aplausos, pelo contrário, nem um som se ouviu na platéia, todos estavam quietos, em um profundo estado de devoção e oração. Então, o primeiro homem, o orador famoso, emocionado, levantou-se e falou: "A diferença entre minha fala e a deste meu velho amigo é que eu conheço o Salmo, mas meu amigo conhece o Pastor!"

 

“Todo o mundo pode ser comum, mas alguém cheio do Espírito é uma pessoa extraordinária.” - Smith Wigglesworth

 

“O volume do seu vazio determina o quanto você pode ser cheio.” - Tommy Tenney

 

Antes da ressurreição, Pedro fazia promessas, votos e compromissos, mas geralmente deixava de cumpri-los. Certo dia, Jesus lhe disse: "Tu, pois, quando te converteres, fortalece os teus irmãos" (Lc 22.32). Em outras palavras, quando você se converter, adotará uma nova perspectiva, e passará a ver que suas forças virão do Espírito, e não de si mesmo. E na verdade Pedro viveu seu próprio Getsêmani, a negação, a separação do Mestre e posterior restauração. Tornou-se outro homem. E depois disso, sua vida passou a ser uma demonstração do poder do Espírito Santo, e não das fraquezas de um homem comum. - Mensagem da Cruz.

 

No Novo Testamento não tem esse negócio de "unção" e outros que não são. Se é filho de Deus, todos são!

 

No serão nordestino, e em outros lugares do Brasil, ainda hoje se usa, nos povoados e nas roças, o velho carro de boi. Serve para carregar a colheita, madeira e outras cargas pesadas. Dois ou mais bois são atrelados a uma canga, e ligados ao carro, para puxá-lo. São guiados pelo carreiro, que vai em cima, dirigindo-os. O eixo do carro de boi é de madeira, e gira sobre madeira, da bem resistente, como a braúna. Quando o carro segue vazio, não chama a atenção, porque nada apresenta de interessante. Mas quando está carregado, cheio, a carga faz peso sobre o eixo e a roda, e o carro de boi segue cantando, num sonido alto, agudo, vivo, que de longe se ouve, e todos sabem: vai um carro de boi, com uma carga pesada. Daí o nordestino tirou um pensamento belo e muito comunicativo: "Carro cheio é que canta!". A vida do cristão pode ser comparada a esse carro de boi: estando vazia, é desinteressante; estando cheia, canta... canta que Cristo é o conteúdo precioso que lhe dá peso... - João Alves Feitoza, em O Jornal Batista.

 

Dr Bill Bright fundador da Cruzada Estudantil e Profissionalizante para Cristo, disse: "Se eu pudesse compartilhar uma única verdade aos cristãos do mundo, seria sobre "Como ser cheio do Espírito Santo, pois não há mais nenhuma verdade mais importante para o cristão". - Ademar Paegle, em O Jornal Batista.

 

Lembro-me de dois criadores de pássaros que estavam conversando sobe curió. Um deles estava procurando um curió que tivesse sido criado na beira de uma grande cachoeira. Procurei saber a razão. A resposta prática veio logo: vivendo perto da cachoeira, o pássaro sempre aprende a cantar mais alto. O ruído das águas o força a fazê-lo... fico pensando no crente navegando nas águas do Espírito...

 

Para identificar Jesus melhor, a Bíblia apresenta um nome especial. Em hebraico era "Messias" e em grego era "Cristo". Este nome queria dizer "um ungido com óleo" e era um nome reservado geralmente para pessoas de famílias reais. Então Jesus Cristo quer dizer: Jesus, o ungido com óleo, o que significa que Ele é uma Pessoa especial, escolhida para uma função particular.

 

Testemunho sem poder é insensatez. Moody, testemunha cheia do poder espiritual, perguntava: "Quando os homens aprenderão que não podem fazer a obra de Deus sem o poder de Deus?"

 

Um carro parado no acostamento. Sol escaldante, nenhuma sombra à vista, a família espera desolada do outro lado da mureta, enquanto o motorista mexe no motor. Passa um desses mecânicos de beira de estrada. Pára seu carro um pouco adiante e vem chegando calmamente. "O que houve?", pergunta. "Sei não, parou de repente", diz o chefe da família. "Posso dar uma olhada? Eu sou mecânico", responde o recém-chegado. Ante o assentimento do dono do carro, a primeira coisa que o mecânico faz é dar uma olhada no painel do veículo. "O marcador de gasolina está funcionando?", indaga. "Acho que sim", diz o motorista. Então vem o veredicto certeiro: "O marcador zerou, moço". "Como é que eu não pensei nisso?", explode o homem. "Mais de uma hora aqui neste sol..." Meneou a cabeça desolado... faltou gasolina. Ante seu espanto, o mecânico fez um comentário tranquilizador: "Se avexe não, moço (era um jovem cearense); acontece muito aqui na estrada, não sabe? Já vi até carro sendo rebocado, foi ver, o tanque estava seco." O mecânico parecia já estar acostumado com esse tipo de problema. Foi até o seu carro e voltou com um galão de gasolina. Despejou o combustível no tanque e disse: "Vire a chave". Pegou no ato. Dava para chegar ao próximo posto, vinte quilômetros adiante. "Quanto lhe devo", quer saber o pai de família. "Nada não, doutor; me pague só a gasolina. Dez Reais!" Há muitas igrejas paradas no acostamento da estrado do seu destino de glória porque acabou o combustível.

 

Segundo Tim LaHaye, ele nunca precisou aconselhar casais que fossem cheios do Espírito Santo; isto porque, quem está cheio do Espírito Santo vive o que Gl 5.22 ensina, ou seja, manifesta o fruto do Espírito em seu viver.

 

Existe uma pequenina ilustração na qual um homem recita o Salmo 23, numa igreja, de maneira poética e dramatizada. Outro homem se levanta e declama o mesmo salmo em unção, vida, alma, sentimento. E todos os presentes choraram profundamente. A conclusão foi que o primeiro homem conhecia o Pastor somente de ouvir falar. O outro o conhecia como o seu Pastor.

 

Dois garotinhos que não se conheciam começam a conversar: — Meu nome é André. Como você se chama? - pergunta um deles. — Roberto - responde o outro. — Meu pai é contador - diz André - O que é que seu pai faz? — Meu pai é advogado - responde Roberto. — Sério? — Não. Do tipo comum. A unção nos faz deixar o comum.

 

Boas novas sobre o azeite de Oliva e o suco de romã: um ingrediente, chamado oleocantal, presente no azeite, pode reduzir a inflamação. É o que dizem os cientistas do Monell Chemicall Senses Center e de outras instituições americanas. Ele inibe as enzimas COX que levam à inflamação, a qual, por sua vez, está relacionada a doenças cardíacas, acidente vascular cerebral (AVC), demência e câncer. O azeite de oliva extravirgem fresco apresenta a concentração mais elevada de oleocantal. – Seleções, Janeiro-2006.

 
O homem ou a mulher que vai trovejar na corte de Faraó com o imperioso “Assim diz o Senhor” precisa primordialmente estar de pés descalços diante da sarça ardente”. – Donald Barnhouse. Visão Missionária-1Trm2005. 18/12/06
 
Tem os absurdos! O boletim Vidanet, nº 295, de 22 de outubro de 2005, trouxe uma notícia intitulada galinheiro pentecostal, que eu chamo de cúmulo do absurdo. Trata-se do testemunho de um pastor do Estado de Mato Grosso. A notícia, na íntegra: “Naquele momento, um poder de Deus tão grande desceu sobre o galinheiro e todas as galinhas começaram a falar em línguas. Aquela galinha que estava com mais autoridade veio rodeando um lado do poleiro e colocou a asa na minha testa, falava em línguas angelicais e o galo interpretava”. Como se diz: “é o fim da picada!” – Geraldo Terto, em O Jornal Batista de 27.11.05. 21/12/06
 
Um homem, enquanto trabalhava em uma loja de calçados, notou que do lado de fora, sob uma temperatura fria, um pequeno menino, descalço, se mantinha à porta de uma padaria próxima à sua loja, buscando aproveitar um pouco o ar quente que vinha de lá. Ele não sabia o que poderia fazer diante daquela situação. Enquanto olhava para o menino, viu aproximar-se uma senhora que parou e conversou um pouco com a criança. Logo a seguir ela o pegou pela mão e trouxe até à sapataria onde lhe comprou sapatos e meias. O menino, virando-se para a mulher, perguntou: "A senhora é esposa de Deus?" Ela respondeu: "Não, meu filho, sou apenas uma de suas filhas." "Bem, eu sabia que a senhora era parente dele." O vendedor observou quando a criança agradeceu à senhora e partiu. Aquela senhora desconhecida era um canal de bênçãos na causa de Cristo e tanto o menino como o homem da sapataria puderam testemunhar as qualidades cristãs que brilhavam através de sua vida. Às vezes agimos de maneira a conduzir pessoas à presença de Deus sem o percebermos. Aquela mulher não levou o pequeno garoto a uma igreja ou disse a ele que precisava de salvação. Com muito amor pregou uma mensagem que tocou tanto o coração do menino como o do vendedor. Há quanto tempo não deixamos que os dons do Espírito de Deus se manifestem em nossas vidas? 15/2/07
 
A unção é o poder que exalta a Cristo; se exaltar o homem, não é unção do Espírito Santo. 17/4/07
 
Disse certa vez o escritor inglês G. K. Chesterton que "em rio abaixo desce qualquer coisa morta. Mas para subir um rio é preciso estar vivo". Se quisermos subir os rios desta vida e lutarmos pela realização de nossos sonhos, temos que muitas vezes remar contra as correntezas. Para conseguirmos chegar ao outro lado da margem do rio, ao porto seguro, precisamos permanecer espiritualmente vivos, na presença de Deus. 18/4/07
 
Moody, testemunha cheia do poder espiritual, perguntava: “Quando os homens aprenderão que não podem fazer a obra de Deus sem o poder de Deus?” 25-12-2007
 
Disse certa vez o escritor inglês G. K. Chesterton que "em rio abaixo desce qualquer coisa morta. Mas para subir um rio é preciso estar vivo". Se quisermos subir os rios do Espírito, temos que muitas vezes remar contra as correntezas. 29.1.2008
 
Desde muito cedo, Alberto Schweitzer começou a revelar o seu talento para a música. Conta-se que certo maestro ficou intrigado com o fato de um menino esforçar-se por tocar tão bem quanto um artista consagrado. Um dia, este maestro tocou com agilidade uma difícil fuga de Bach e, levantando-se do piano, desafiou o menino para tocar a peça. Alberto Schweitzer fechou a parti­tura que estava sobre a estante do piano e tocou, de memória, toda a fuga. Realmente, a vida e obra de Alberto Schweitzer indicam que ele não re­cebeu poder de fora nem de si mesmo, mas do próprio Deus. O autor de Atos nos diz que receberemos poder. Recebemos primeiro o poder de vencer a ten­tação de cometer pecados triviais que facilmente nos dominam. E este poder aumenta pelo exercício e nos capacita a grandes conquistas no terreno espiri­tual e moral, e até nos pode levar aos páramos da santidade. Nossa capacida­de pode ser limitada; nossos talentos, poucos; a nossa personalidade, imper­feita; mas, de qualquer modo, podemos receber o poder da ressurreição de Cristo e ser Suas testemunhas. C. Phillip Torrance (Nova lorque, E.U.A.). 11.2.2008
 
"Considero o meu coração como pólvora: a menor faísca de tentação pode incendiá-lo; por isso me esforço para conservá-lo sempre umedecido pelo orvalho do Espírito Santo." Robert Murray M'Cheyne. 14.2.2008
 
"Não por força, nem por violência, mas pelo meu espírito, diz o Senhor dos Exércitos" (Zc 4.6). É possível compreendermos como a vida cheia do Espírito é abundante, ao pensarmos na sua obra. Ele transforma o caráter, inspira o verdadeiro cul­to, ajuda os que buscam Cristo a encontrá-lo, comunica uma mente sã, vivifica todas as faculdades, dignifica e enobrece, faz lembrar a verdade, ajuda os discípulos na luta contra as forças satânicas, defende toda alma contrita, revela as coisas profundas de Deus, revela Cristo em Seus seguidores, coopera na proclamação da Palavra, habilita os homens para os deveres da igreja e lhes outorga dons prometidos na comissão evangélica, além de desenvolver em todos quantos o recebem as maravilhosas graças, conhecidas como os frutos do Espírito. 18.2.2008
 
- Seu rosto é tão brilhante! - disse uma vez um hindu a um cristão. Que remédio o senhor usa para fazê-lo brilhar assim? - Não uso remédio algum - respondeu o cristão, estranhando a pergun­ta. - Como não! - persistiu o outro. Todos vocês, cristãos, usam esse remé­dio no rosto. Tenho-o notado, onde quer que encontre cristãos. O crente pensou um instante e sorriu: - Vou dizer-lhe qual o remédio que faz nosso rosto brilhar assim: ele vem de olharmos para Jesus. 19.2.2008
 
McKonkey, autor de edificantes obras devocionais, narra o se­guinte: "Sermões muito bem estudados, eloquentes, não conseguiram uma só conversão no meio de tantas pessoas que, em certa ocasião, assistiam a prédicas ao ar livre. Mas, ouvindo as mensagens piedosas de um homem despreparado que manifestadamente falava cheio do Espírito, toda a congregação derramou lágrimas de arrependimento de necado". 22.2.2008
 
Quando a igreja se torna mundana e o mundo se torna igrejeiro, a igreja perde tanto o respeito quanto o poder de Deus. 17.3.2008
 
Nenhum homem terá alegria no Senhor se disser: "Eu não quero me regozijar no Senhor". 18.3.2008
 
Os grandes clubes de futebol têm os seus caçadores de talentos, mas Deus também tem um olheiro, o Espírito Santo, sempre de prontidão para descobrir valores para o seu Reino. 6.5.2008
 
Cada crente tem uma história singular do seu encontro com Cristo. Ann, uma recepcionista nos Ministérios RBC, disse-me que tem mantido um diário quase a vida toda. Ela tem por tesouro o relato da sua conversão quando tinha 15 anos. Aqui está um excerto: "Eu fui ver o Billy Graham. Eu fui salva! Eu estou muito feliz.... Quando fui salva senti calor no meu coração." 15.9.2008
 
Phil Roberts relata a história de um missionário, Tom Tipton, que foi para uma aldeia na Uganda compartilhar Cristo. A única pessoa que estava disposta a escutar o evangelho era um leproso que perdeu ambas as pernas e parte de um braço. O leproso aceitou Cristo e Tipton ensinou-lhe alguns versículos da Bíblia e alguns hinos para cantar. Tipton precisou viajar mas retornou menos de um mês mais tarde. Ao chegar ele encontrou um grupo de pessoas reunidas e cantando os hinos que o leproso havia lhes ensinado. Ao perguntar o que havia acontecido durante sua ausência, foi informado que o leproso havia rastejado de cabana em cabana, usando apenas o braço que ainda possuía, e em cada uma delas havia compartilhado o Evangelho de Jesus Cristo. Se você e eu formos fiéis, menos confiantes em nós mesmos e mais confiantes em Deus e no poder do Espírito Santo que trabalha por nós, veremos os frutos que honrarão a Deus. Nós temos um tesouro em vasos de barro. Que desculpas temos apresentado para justificar nossa total indiferença à obra de Deus? Temos dito que não sabemos pregar o Evangelho? Mas é o Senhor que fala por nós! Temos dito que não nos sobra tempo? Mas temos tempo para tantas outras coisas! Temos dito que já existem muitos levando a palavra de Deus? Mas o Senhor conta ainda conosco! Alguém que não tem as duas pernas pode servir a Deus? Sim, aquele leproso pôde. Alguém que não enxerga pode servir a Deus? Claro que sim, Deus ilumina o nosso caminho. Um rico pode servir a Deus? E como! Um pobre pode servir a Deus? Sim, e essa será sua grande riqueza! Temos um grande tesouro em nosso coração. Ele nos enche de gozo e alegria. Precisamos compartilhá-lo com todos. Quanto mais o dividirmos com os outros, maior Ele será em nós. 21-11-2008
 
Afinal, como diz o ditado, "perguntar não ofende"... Eu só queria saber: Por que palavras como "paixão", "fogo", "glória", "poder" e "unção" vendem muito mais CDs do que "graça", "misericórdia" e "perdão"? 12-12-2008
 
“Por mais erudito que um homem seja, por mais perfeita que seja sua capacidade de expressão, mais ampla sua visão das coisas, mais grandiosa sua eloqüência, mais simpática sua aparência, nada disso toma o lugar do fervor espiritual. É pelo fogo que a oração sobe aos céus. O fogo empresta asas á oração, dando-lhe acesso a Deus; comunica-lhe energias e torna-se aceitável diante do Senhor. Sem fogo não há incenso; sem fervor não há oração.” (E.M. Bounds). 27-01-2009
 
Visitando uma fábrica de bússolas, um estudante curioso notou grande numero de aparelhos novos e polidos. Alguns tinham as agulhas apontadas para a direção norte e, mudando-se a posição da bússola, a pequena agulha voltava-se sempre para a mesma direção. Outros tinham as agulhas todas paradas, não se mexiam: bússolas inúteis. Qual a explicação? O fato é que as primeiras estavam imantadas e as outras não. Da mesma forma, quando o amor de Cristo é comunicado a nós e ficamos cheios do seu poder, nossa vida aponta sempre para o rumo de Deus.21.5.2009
 
Pastor Oliveira Araújo (ES), proferindo a mensagem. "Celebrando a presença do Espírito Santo", profetizando que "a Igreja precisa do poder do Espírito Santo: (1) para um retorno à Palavra de Deus; (2) para dobrar os joelhos em oração; (3) para viver uma vida mais santa diante de Deus; (4) para perdoar; (5) para testemunhar de sua fé", e concluiu "dizendo que as multidões estão indo para o fogo do inferno porque a Igreja perdeu o fogo do Espírito".30.9.2009
 
Termina o culto e o pastor vai até a porta cumprimentar os visitantes, conversar com a igreja, atender alguém que precisa ser ouvido. Invariavelmente escuta as frases: "Que culto bonito"; "Como o coro cantou bem"; "Gostei da mensagem". Mas raramente, ouve: "Hoje à noite Deus falou ao meu coração. Obrigado, pastor"; "Assumi um compromisso diante da Palavra de Deus"; "O hino do coro inspirou-me a perdoar alguém que me ofendeu." É verdade que, às vezes, estas últimas palavras não são ditas, mas expressas pelo aperto de mão e o olhar úmido. Este silêncio qualquer pastor entende.1.10.2009
 
Mark Guy Pearse narra a experiência marcante que teve em uma viagem de trem. "Eu refletia sobre a vida vitoriosa e  cheia de poder do cristão. Enquanto  estava  lendo,"  relata  ele, "meus olhos se fixaram na palavra "receber" e um grande gozo entrou em minha alma. Não me sentia subindo ao  céu,  mas  o Senhor descendo. Estava chovendo e, enquanto o  trem  parava na estação, eu notei uma senhora já  idosa,  saindo  de  sua humilde casa e colocando uma vasilha do lado  de  fora  para pegar água da chuva. A  vasilha  logo  encheu  e  começou  a transbordar. Imediatamente elevei meu pensamento  a  Deus  e lhe pedi: "Senhor, tome a vasilha do meu coração, quebrada e seca, e faze-a transbordar do Seu poder." Como é maravilhoso sentir o gozo transbordante da graça e do poder de Deus sobre nossas vidas. A alegria  é  tremenda,  o mover de Seu Espírito nos enche de júbilo, nada neste  mundo pode se comparar à felicidade que  experimentamos  quando  o Senhor Jesus está presente em nossos corações. 2.10.2009