Ilustrações Ilustrações D

Dons

 

Um homem de nome Luis Tarísio, foi encontrado morto, certa manhã, em sua casa. Vivia pobremente, com muito pouco conforto. Mas tinha uma mania: colecionar violinos. Foram encontrados no sótão da casa 246 violinos caríssimos. O mais valioso de todos estava escondido na última gaveta de uma velha cômoda: era um Stradivarius de 147 anos! Tarísio gostava dos seus instrumentos mas os escondia de todos, privando os outros da bela música que poderiam ouvir. Os crentes fazem coisa semelhante quando deixam de se mover nos dons que o Espírito Santo lhes concedeu. (ou dar esta aplicação: Os crentes fazem coisa semelhante quando deixam de falar de Cristo aos que estão morrendo espiritualmente. Escondem um tesouro! Ler Mc 5.19).

 

O pastor da Igreja do Caminho, Jack Hayford, e autor de excelentes livros, diz que o “método divino sempre inclui pessoas”. É admirável o uso que Deus faz dos humanos!

 

Um jovem muito apaixonado dizia para sua namorada: - "Maria, te amo tanto que, quisera ter mil pares de olhos para olhar-te. Quisera ter mil mãos para acariciar-te. Quisera ter mil bocas para beijar-te. Quisera..." A jovem lhe interrompe bruscamente e chateada responde: - "Juan, por que não usas o que tens?" Muitas vezes nós também dizemos: "se eu tivesse talento para a música... se eu tivesse o dom de pregar... Se eu tivesse... se eu tivesse... O Senhor está nos interrompendo para dizer-nos: "porque não usas o que tens?" Não lamentes o que não tens. Reconhece e agradece o que se tens e usa-lo para o teu beneficio e para a honra e gloria de Deus.

 

Certa vez, as diversas partes de um corpo acharam que o estômago estava muito orgulhoso. Andava se gabando de sua importância, dizendo mesmo que todo o corpo dependia dele, que o corpo não seria nada sem ele. O que fizeram eles então? Numa reunião solene, sem que o estômago soubesse, resolveram que não lhe dariam mais apoio. Os olhos disseram que não olhariam mais para aquela manga amarelinha, aquele bife suculento, ou aquela salada cheia de cores. Também o nariz disse que ia se trancar e não informar nada a respeito dos deliciosos odores exalados por frutas e pratos atraentes. Os braços se cruzariam e as mãos se fechariam, de modo que nada levariam à boca, que também se manteria fechada. As pernas e os pés resolveram fazer uma paralisação também, de modo que o estômago acabou por nada receber. Resultado, o estômago morreu, e com ele, dura verdade, morreu todo o corpo: pés, mãos, pernas e braços, nariz, olhos e boca. Morreu o corpo todo! O estômago não deveria ser tão orgulhoso, mas as outras partes deveriam saber que quando um membro sofre, todos sofrem com ele. É isso que a Palavra de Deus diz sobre a Igreja (o Corpo de Cristo). Precisamos uns dos outros!

 

O Pr. Silas de Freitas, pregando na noite em que tomei posse na ministração do propósito de evangelismo e missões da igreja (IB-Central em São Fidélis-RJ), disse que "as adversidades podem matar o dom de Deus que há em nós", razão pela qual Paulo disse a Timóteo para "reavivar o dom".

 

"Igreja não é depósito de crentes", declarou o Pr. Silas de Freitas, quando pregou em outubro de 2001, no templo da IB-Central em São Fidélis-RJ.

 

Peter Wagner diz: “todo crente que confia em Jesus como seu Senhor, que deseja ama-Lo , segui-Lo da melhor maneira possível e deseja ver a sua igreja crescer como uma comunidade saudável, precisa saber acerca dos dons espirituais”. (Internet)

 

Quatro dons compõem este grupo: milagres, curas, línguas e interpretação de línguas. De todos os dons, estes são, seguramente, os que mais geram controvérsias e mais dividem opinião entre as denominações evangélicas... Há pelo menos três maneiras de compreender os dons de sinais, em nossos dias: 1) A maneira carismática; 2) a maneira anticarismática; 3) a maneira da Grande Comissão. Os crentes carismáticos defendem que os dons de sinais são válidos ainda hoje, e, especificamente, o dom de falar em línguas, como demonstração evidente do batismo no Espírito Santo. Os anticarismáticos defendem que os dons de sinais não são válidos e não devem ser buscados hoje, pois eles são um legado divino dado exclusivamente à igreja primitiva. Mas, uma terceira maneira de entender os dons de sinais surge como ponto de equilíbrio entre essas duas correntes de pensamento: A maneira da Grande Comissão. (Internet) 

 

Según un estudio realizado en 350.000 personas, 4 de cada 5 tienen empleos que no corresponden a sus habilidades. El estudio también sugiere que las directrices más usadas comúnmente para emplear personas, como la preparación académica y la experiencia, tienen poco valor al predecir lo bien que un solicitante va a desempeñar una posición en particular. Lo que hace que una persona sea o no adecuada para un trabajo son las aptitudes internas para ciertos tipos de trabajo. En la obra del Señor, los dones adecuados también son esenciales para que seamos eficaces. Los factores secundarios como el talento y la experiencia ocupan su lugar también. Pero Dios, por medio del Espíritu Santo, dota a cada cristiano sobrenaturalmente con dones espirituales singulares para que sirvan a Su Iglesia. (Fonte: Osvaldo Carnival - osvaldo carnival@sion.com). 

 

Henry Blackaby explica: "Dom espiritual é isso: uma capacitação sobrenatural para realizar uma tarefa dada por Deus" - Fonte: Ivo Augusto Seitz, em O Jornal Batista, pg 2 - 26/08 a 01/09/2002.

 

Hoje até os batistas, com o mover de Deus, estão fluindo na linguagem espiritual. Mas como todos sabem, nem sempre foi assim. Por isso, até piadinhas como essa se contava: Um assembleiano do interior de Minas Gerais, tinha um jumentinho muito veloz, por ele criado desde o nascimento... Em tempos de crise, resolveu vender o coitado do jumentinho para um batista. "Óia, ermão, é esse o jumentinho Artílio que io vendê procê. Mas Presta atenção, tem qui dizê Graças à Deus prele andá e Aleluia pra mor dele pará". O irmão batista, satisfeito com sua nova aquisição, se apressou em decorar os comandos do jumentinho Artílio. No domingo após a compra do Artílio (o jumentinho), o irmão batista planejou chegar na igreja de jumentinho novo... "Er... o que eu falo mesmo?... Ah! sim!" E estufando o peito bradou: "Graças à Deus!" Artílio, o jumentinho, não obstante começou veloz cavalgada, e cada vez mais rápido, deixou o irmão batista um pouco preocupado, tanto que reparou a ribanceira à frente já bem perto dela.... Desesperado, tentava se lembrar da palavra que deveria fazer o jumentinho parar... "Misericórdia! Não, não... Glória à Deus! Também não..."; (no desespero tentou até arriscar umas línguas estranhas...) ... quando à beira da ribanceira se ouviu : "ALELUIA!!!!!" De imediato Artílio parou! O irmão batista recuperando-se do susto e secando o suor do rosto, olhou pros céus e agradeceu: "Graças à Deus!" Artílio prosseguiu ribanceira abaixo... 

 

Certa vez o grande maestro Michael Costa estava ensaiando uma enorme orquestra. Entre centenas de músicos, o que tocava o flautim, numa extremidade distante, pensou consigo: “com toda essa zoada, não tem a mínima importância o que eu faço”, e parou de tocar. De repente, o maestro interrompeu o ensaio, ergueu as mãos e gritou: “Onde está o flautim?”. Para o maestro, o flautim era tão importante como qualquer dos outros instrumentos. Assim Deus, o grande maestro do Universo, também quer contar com o nosso dom, ainda que pareça pequeno.

 

Eu conduzia numa estrada pouco movimentada. De repente, o meu carro reduziu o andamento, engasgou-se, e num soluço final, morreu. Ali estava eu, com apenas uma chave de parafusos e um par de alicates, a longos quilômetros de uma oficina. E podes imaginar a minha ignorância sobre motores de automóveis. Levantei o capot do carro e pus-me a olhar para o motor, mas tudo me parecia em ordem. Então chegou um amigo. Ele mexeu no carburador e disse, “Está com gasolina!”. Ele tocou com a chave de parafusos em algumas ligações elétricas e disse, “Não há corrente!” E descobriu um fio solto. Um pequeno parafuso desapertou-se, o que provocou a paragem do motor. Do mesmo modo que as pequenas partes de um motor são vitais para o manter em funcionamento, todo o membro da igreja, corpo de Cristo, é importante. Se falhares, não fazendo a tua parte, podes comprometer o funcionamento adequado de todo o corpo. - Fonte: www.gospelcom.net/rbc

 

Depois de ser perseguido durante um bom tempo por um gato, o rato esconde-se em uma toca e fica ali durante horas. Até que, ao ouvir latidos de cachorro, achou que o gato tivesse ido embora e saiu para passear. Contudo, assim que enfiou a cabeça pra fora, foi pego pelas garras do gato. - Você imita latidos? - perguntou espantado. E o gato: - Meu amigo, neste mundo globalizado, quem não fala duas línguas morre de fome!

 

Um funcionário de estrada de ferro comemorava 30 anos de serviço e, por isso, a direção da ferrovia e seus companheiros lhe prestaram uma homenagem. Após os discursos, o repórter, curioso, lhe perguntou: "Qual foi seu último serviço na estrada?" "Nesses últimos anos minha função era bater com um martelo nas rodas dos vagões sempre que o trem chegava à estação". "E com que finalidade?" "Ah! Isso eu não sei: nunca perguntei e nunca me disseram". Cada cristão precisa saber por que e para que Deus lhe tem dado dons espirituais. Seu dom não deve ser usado a esmo, se mesmo saber a finalidade dele ou em que vai ser útil.

 

O aplaudido livro de Darrell W. Robinson, Igreja, Celeiro de Dons, faz convergir para a evangelização os dons por Deus concedidos aos crentes: "...todos os dons devem ser usados para o testemunho evangelístico e o ministério" (pg. 158).

 

Um pastor evangélico americano, negro, quase cego, inaugurou a era moderna do movimento pentecostal. Seu nome: William Seymour. No início do Século 20, este homem promovia cultos barulhentos, com muito canto, muita dança, gritos, línguas estranhas - êxtase espiritual dentro de um templo numa rua que se tornaria célebre: a Rua Azuza, em Los Angeles. Em abril de 1906, repórteres do "Los Angeles Daily Times" assistiram às celebrações do pastor Seymour e puseram na primeira página do jornal: “Espantosa babel de línguas!”, “Nova seita de fanáticos à solta!”, “Cenas impressionantes na noite da Rua Azuza!”. - Fonte: http://fantastico.globo.com/Jornalismo/Fantastico/0,,AA1058940-4005,00.html

 

O aplaudido livro de Darrell W. Robinson, Igreja, Celeiro de Dons, faz convergir para a evangelização os dons por Deus concedidos aos crentes: “...todos os dons devem ser usados para o testemunho evangelístico e o ministério” (pg 158). 16/12/06

 

O comediante Dom DeLuise relata que houve um tempo obscuro em sua vida em que nada o fazia sorrir. Disse ele: "Tudo  em minha vida dava errado. Vivia sem esperança e sentia-me completamente inútil." Ao aproximar-se o Natal, seu filho pequeno lhe perguntou o que desejaria ganhar de presente. DeLuise, desanimado, respondeu: "Felicidade -- e você não pode me dar isso." Quando chegou o Dia de Natal e a família abriu seus presentes, o menino entregou a seu pai um pedaço de papelão onde estava escrita com letras um tanto rabiscadas, a palavra felicidade. O menino disse: "Veja, papai, eu posso lhe dar felicidade!" 18/12/06

 
Os três reis-magos do oriente, que o fazem presenteando-O com ouro, incenso e mirra (Mateus 2.11), respectivamente símbolos da Realeza de Jesus (Apocalipse 17.14), do Sacerdócio de Jesus (Lucas 1.9; Hebreus 10.10-13), e da Sua morte propiciatória (João 19.39). 19/12/06

 

Tem os absurdos! O boletim Vidanet, nº 295, de 22 de outubro de 2005, trouxe uma notícia intitulada galinheiro pentecostal, que eu chamo de cúmulo do absurdo. Trata-se do testemunho de um pastor do Estado de Mato Grosso. A notícia, na íntegra: “Naquele momento, um poder de Deus tão grande desceu sobre o galinheiro e todas as galinhas começaram a falar em línguas. Aquela galinha que estava com mais autoridade veio rodeando um lado do poleiro e colocou a asa na minha testa, falava em línguas angelicais e o galo interpretava”. Como se diz: “é o fim da picada!” – Geraldo Terto, em O Jornal Batista de 27.11.05. 21/12/06

 
Imagine aquele momento do Natal em que você abriu todos os presentes, menos o de determinada pessoa. Sinta o desapontamento dela. Agora, olhe para a situação da perspectiva divina. Você já "abriu" o presente de Deus para você? Imagine-O esperando que você desembrulhe o seu presente. 22/12/06
 
Um homem de meia idade veio a  Dante Gabriel  Rossetti trazendo com ele alguns esboços e desenhos. Percebia-se em sua respiração o cheiro de fumo e bebida. Seus olhos estavam vermelhos e suas mãos trêmulas. Rossetti deu uma olhada nos desenhos e sentiu neles aflição e desespero. Após ouvir o comentário a respeito de seu trabalho, o visitante hesitou um pouco mas logo a seguir pegou outro pacote de desenhos dizendo que era o trabalho de um aluno jovem. Rossetti gostou muito e pediu que mandasse o rapaz até ele. "Ah, senhor," disse o homem, "eu sou esse rapaz, ou melhor, eu era. Suas alavras apenas confirmaram o que eu já suspeitava. Eu joguei fora todos os meus talentos e o melhor de minha vida." 26/12/06
 
Certo dia 3 árvores conversavam num bosque... 1ª dizia... Quando eu crescer quero ser um baú cheio de jóias de uma família rica... A 2ª, Eu quero ser um transatlântico cheio de pessoas bonitas e ricas... A 3ª, Eu quero ser plantada no alto de um monte para que todos olhem pra mim e lembrem de Deus... O tempo passou e as 3 árvores, esperavam seus destinos. A 1ª virou um cocho para animais. A 2ª um barquinho. A 3ª ficou esquecida no depósito. As 3 Lamentaram frustradas e tristes por seus destinos! Num certo dia um bebe foi colocado naquele cocho e feliz a 1ª árvore percebeu que continha o ser mais precioso do universo! Um dia o barco quase naufragou e apos uma ordem aos ventos e mar, tudo se acalmou e a 2ª árvore feliz, percebeu que levava a pessoa mais Poderosa do mundo! A 3ª foi transformada numa Cruz pra morrer um inocente e feliz ela percebeu que sempre que alguém olhasse pra ela lembraria de Deus! Deus tem lindos planos pra nós! 11/1/07
 
O ontem é história. O amanhã é mistério e o hoje é uma dádiva, por isso se chama "presente". 15/1/07
 
Duas vizinhas viviam em pé de guerra. Um dia, Maria descobriu o verdadeiro valor da amizade e resolveu que iria fazer as pazes com Clotilde. Ao se encontrarem disse Maria: Minha querida Clotilde, já estamos nessa desavença há anos e sem nenhum motivo aparente. Proponho que façamos as pazes e vivamos como duas boas amigas. Clotilde, disse que iria pensar no caso. Chegando em casa, preparou uma bela cesta de presentes, cobrindo-a com um lindo papel, mas encheu-a de esterco de vaca. Mandou levar o presente a casa da rival, com um bilhete: “Aceito sua proposta de paz e para selarmos nosso compromisso,envio-te esse lindo presente”. Dias depois dona Clotilde recebe uma linda cesta de presentes. É a vingança daquela asquerosa da Maria. Ao abrir a cesta viu um lindo arranjo das mais belas flores com um cartão: “Este ramalhete de flores é o q te ofereço em prova da minha amizade. Foram cultivadas com o esterco que você me enviou e q proporcionou excelente adubo para meu jardim. Afinal, cada um dá o que tem em abundância em sua vida!” 30/1/07
 
Um homem, enquanto trabalhava em uma loja de calçados, notou que do lado de fora, sob uma temperatura fria, um pequeno menino, descalço, se mantinha à porta de uma padaria próxima à sua loja, buscando aproveitar um pouco o ar quente que vinha de lá. Ele não sabia o que poderia fazer diante daquela situação. Enquanto olhava para o menino, viu aproximar-se uma senhora que parou e conversou um pouco com a criança. Logo a seguir ela o pegou pela mão e trouxe até à sapataria onde lhe comprou sapatos e meias. O menino, virando-se para a mulher, perguntou: "A senhora é esposa de Deus?" Ela respondeu: "Não, meu filho, sou apenas uma de suas filhas." "Bem, eu sabia que a senhora era parente dele." O vendedor observou quando a criança agradeceu à senhora e partiu. Aquela senhora desconhecida era um canal de bênçãos na causa de Cristo e tanto o menino como o homem da sapataria puderam testemunhar as qualidades cristãs que brilhavam através de sua vida. Às vezes agimos de maneira a conduzir pessoas à presença de Deus sem o percebermos. Aquela mulher não levou o pequeno garoto a uma igreja ou disse a ele que precisava de salvação. Com muito amor pregou uma mensagem que tocou tanto o coração do menino como o do vendedor. Há quanto tempo não deixamos que os dons do Espírito de Deus se manifestem em nossas vidas? 15/2/07
 
Um rico resolve presentear um pobre por seu aniversário e ironicamente manda preparar uma bandeja cheia de lixo e sujeiras. Na presença de todos, manda entregar o presente, que é recebido com alegria pelo aniversariante. O aniversariante gentilmente agradece e pede que lhe aguarde um instante, pois gostaria de poder retribuir a gentileza. Joga fora o lixo, lava a bandeja, enche-a de flores, e devolve-a com um cartão, onde diz: "Cada um dá o que possui." Assim, não se entristeça com a "ignorância" das pessoas, não perca sua serenidade. A raiva faz mal à saúde, o rancor estraga o fígado e a mágoa envenena o coração. 12/3/07

 

Aquilo que nós somos é um presente da vida para nós; aquilo em que nos tornamos é o nosso presente para a vida. 26/3/07
 
De alguns realmente a gente pode dizer que é talento; eles são mesmos bem devagar quase parando! 8.1.2008
 
O ratinho estava na toca, e do lado de fora o gato: - MIAU, MIAU, MIAU... O tempo passava e ele ouvia - MIAU, MIAU, MIAU... Depois de várias horas e já com muita fome o rato ouviu: - AU! AU! AU! Então ele deduziu: “Se tem cachorro lá fora, o gato foi embora“. Saiu disparado em busca de comida. Nem bem saiu da toca o gato: CRAU!! Inconformado, já na boca do gato, perguntou: "Ô gato!!! Que palhaçada é essa?" E o gato respondeu: "Meu nobre, hoje nesse mundo “globalizado“ quem não falar pelo menos duas línguas “MORRE DE FOME“. 29-01-2008
 
Diante do Sultão Saladino, no tempo das Cruzadas, estava como prisio­neiro o oficial inglês, Ricardo, Coração de Leão. Segurando a espada do gran­de rei da Inglaterra pelas extremidades, o sultão a arqueou até que, num es­talo, ela se partiu em dois pedaços. Dirigindo-se ao oficial inglês com ironia, disse o poderoso sultão: "E isso ai a espada de Ricardo, Coração de Leão?" E o inglês: "Sim! E essa mesma... Não importa a têmpera do aço quando o pu­nho que a segura é o de Ricardo, Coração de Leão! O que tem importância é o braço de quem empunha a espada!" Quando dispomos nossos talentos a serviço de Deus, não importa quão pequenos ou modestos eles sejam; nas mãos de Deus serão maravilhosos. 14.2.2008
 

Dizia Beethoven que "basta haver dois por cento de talento quando há noventa e oito por cento de consagração". 14.2.2008

 

Certa vez, um cantor famoso foi convidado a dar um concerto em benefí­cio dos soldados da Primeira Guerra Mundial. O presidente da comissão que o convidou lhe disse: "Como se trata de um beneficio, não exigimos natural­mente que o senhor apresente o que tem de melhor. Seu nome é suficiente para atrair as multidões. Eu sugiro canções simples que não exijam grande es­forço de sua parte". Dizem que o cantor sentiu-se ofendido e enchendo-se de orgulho, respondeu: "Eu não me contento em fazer menos do que o melhor que posso". E nosso dever solene tirar o máximo proveito de nossos dons e oportu­nidades e cumprir fielmente, e da melhor maneira, qualquer tarefa, seja gran­de ou pequena. Deus espera que façamos o melhor, não importa qual seja a obra que temos em mãos. Estamos nós fazendo o melhor para ter a aprovação do Mestre: "Muito bem servo bom e fiel"? 18.2.2008

 

Contam que na carpintaria houve uma vez uma estranha assembléia. Foi uma reunião de ferramentas para acertar suas diferenças. O martelo era o presidente, mas teria de renunciar. A causa? Fazia demasiado barulho e vivia o tempo todo golpeando O martelo aceitou sua culpa, mas pediu que também fosse expulso o parafuso, dizendo: "Ele dá muitas voltas para conseguir o que deseja." O parafuso concordou, mas pediu a saída da lixa. Ela é muito áspera no tratamento com os demais, entrando sempre em atritos. A lixa acatou, com a condição de que expulsassem o metro. Ele mede os outros segundo a sua medida, como se fosse o único perfeito. Nesse momento entrou o carpinteiro, juntou todas as ferramentas e iniciou o seu trabalho, transformando uma rústica madeira em um fino móvel. Senhores, todos temos defeitos, mas o carpinteiro trabalha com nossas qualidades, com nossos pontos valiosos. Notamos que o martelo é forte, o parafuso une e dá força, a lixa retira as asperezas e o metro é preciso e exato. Quando uma pessoa busca defeito em outra, a situação torna-se tensa e negativa. Quando se busca os pontos fortes dos outros, florescem as melhores conquistas humanas. Visão Missionária 1T2005. 19.3.2008

 

Moody foi um vendedor de sapatos, em uma pequena cidade, antes de tornar-se um famoso evangelista mundial. Reconhecendo sua falta de instrução formal, ele disse certa vez: "Eu não sou um homem de muitas qualidades, mas todas as que tenho estão à disposição de Cristo." Que áreas de nossa vida estão colocadas diante do Senhor? 24.3.2008

 

Passeando com sua avó em um shopping, o menino se encantava com os brinquedos expostos nas vitrines. Vendo o interesse do neto, a senhora lhe perguntou: "O que você gostaria de ganhar de presente no Natal, querido?" "Ah, vovó," respondeu o garoto, "eu queria ganhar dois caminhões, dois carrinhos com controle remoto e dois video-games." A avó, intrigada com a pedida do neto, indaga-lhe: "Mas por que você quer dois brinquedos de cada?" "Assim, vovó, eu poderei compartilhar com meus amiguinhos os brinquedos que ganhar." Bom seria se todos nós tivéssemos o mesmo pensamento do menino de nossa ilustração. Quão felizes seríamos se aproveitássemos o Natal para deixar de lado nosso egoísmo, nossas vaidades, nossa indiferença em relação ao nosso próximo e procurássemos compartilhar aquilo que temos de melhor. 26.8.2008

 

O que é isso? E o rapaz disse: Flores para a senhora. Mas quem mandou? Ora quem mandou foi seu marido! Que brincadeira é essa? Não, não é brincadeira nenhuma, eu vim entregar aqui o arranjo que seu marido mandou. Que brincadeira de mau gosto, retire-se daqui. E o rapaz da floricultura: Desculpe, eu só estou entregando, eu não posso levar de volta estas flores. Vai levar sim! Não, pelo amor de Deus, se eu levar de volta o meu patrão me manda embora. A é, qual é o nome de seu patrão? O seu Francisco, me dá o telefone que eu vou ligar pra ele, ele vai ver só. Ela furiosa pegou o telefone e ligou. Seu Francisco? Sim, pois não. Seu Francisco, que brincadeira de mau gosto é essa? Como que brincadeira! O seu entregador esta aqui me trazendo um arranjo. Pois é, foi seu marido que mandou. Como, como ele pode ter mandado, se meu marido esta morto. E aí seu Francisco do outro lado a linha disse: Minha senhora escute com atenção, no ano passado, no dia 12 de junho, o seu marido veio aqui na floricultura e ele escolheu essas orquídeas, e ele disse enquanto nós preparava-mos o arranjo “ Eu amo tanto aquela mulher, eu a amo tanto que ela vai ser meu amor para sempre”, eu quero fazer o seguinte: eu quero já deixar pago aqui uma quantia que seja suficiente para ela receber essas orquídeas todos os anos, nos dia dos namorados, eu quero deixar tudo pago. Quando o homem disse isso, ela estremeceu mais ainda. Como, eu não entendi? É verdade minha senhora, não é brincadeira nenhuma, é lógico que seu marido nem imaginava que iria morrer, mas ele quis deixar pago aqui as flores para todos os dias dos namorados, que ainda pudessem existir na sua vida, ele deixou uma quantia fabulosa, a senhora quer saber a verdade, a quantia que ele deixou aqui na floricultura nos garante que a senhora vai estar velhinha, muito velhinha e vai continuar recebendo no dia 12 de junho esse arranjo lindo de orquídeas. Por favor, minha senhora, não recuse não, foi o seu marido que mandou já esta tudo pago, eu tenho que fazer esta entrega. Ai ela emocionada começou a chorar, ela dizia, sim, claro, claro que eu vou receber, muito obrigado, ai desligou o telefone, olhou aquele arranjo de flores e foi caminhando lentamente, pegou das mãos do entregador, trouxe para junto do peito e tinha um cartãozinho dizendo: “ Você vai ser meu amor para sempre, te amo cada vez mais”. Ela chorou emocionada, o amor daquele jovem esposo, era tão grande que superou a morte, um amor que superava distancia, porque ele continuava dizendo, “ Eu te amo” e ela compreendeu que aquelas flores lhe pertenciam, que aquilo era dela por direito, porque ele já tinha pago por tudo, e ela recolheu o arranjo, colocou num vazo ali na sala e ficou horas, e horas olhando, emocionada chorou muito e dizendo: “ Eu te amo, eu também te amo, você vai ser meu amor para sempre. Estou contando essa historia pra vocês, porque há uma pessoa profundamente apaixonada por nos, e tem um amor tão grande, que este amor venceu a morte, superou os obstáculos, a distancia, ele é capaz de dizer, Você vai ser meu amor para sempre, eu te amo cada vez mais, estou falando de Jesus Cristo. E Jesus Cristo, por nos amar, amar de uma maneira tal, ele pagou todas as bençãos, uma vida transbordante e feliz para cada pessoa, que esta na face da terra, porque igualmente ele ama cada um de nos, ele ama com aquele amor de perdição, amor que é capaz de entregar a própria vida, até a ultima gota de sangue, um amor de renuncia, um amor tão intenso, tão maravilhoso, que a morte não é capaz de acabar, e o tempo não consegue apagar. Jesus Cristo é como o moço rico e apaixonado desta história, alto, bonito, inteligente, charmosso, leal, muito rico, porque não há ninguém tão rico quanto ele, e mesmo assim, ele vem e paga com sua própria vida, e com seu próprio sangue, para que eu e você que somos a pessoa que ele ama, tenha uma vida transbordante, uma vida de fartura. Nessa história, eu sou que nem o entregador da floricultura, eu vim trazer pra vocês o presente, que Jesus Cristo já pagou com sua própria vida, esta pago por toda a eternidade, e eu não posso voltar sem fazer a entrega, você que esta lendo, o presente é para você, eu sou apenas o entregador, se eu não fizer a entrega, meu patrão me manda embora, eu te que entregar essa mensagem, é pra você, receba por favor, Jesus Cristo morreu de amor, para que você tenha vida, e vida de verdade, sabendo que ele te ama tanto, que tudo na tua vida já esta pago antecipadamente. O que você vai fazer agora?, vai recusar ou vai receber, receba, receba agora o Senhor Jesus Cristo como o teu único, suficiente, exclusivo e eterno salvador, receba todas as ricas bençãos que ele já pagou pra você, que irão durar por toda a eternidade, receba esta mensagem do amor do Senhor Jesus. Jesus te ama, então tome posse de todas as bençãos, que não são apenas para o dia 12 de junho, o moço rico desta historia, dava apenas um presente anual, mas do Senhor Jesus Cristo não, é para o ano inteiro, todos os meses, todos os dias, todas as horas, todos os minutos, todos os segundos é pra sempre. 26.8.2008

 

Certa mãe disse a filha: vamos buscar a Deus! A filha disse: "mãe, sou jovem vou curtir minha vida, depois vou para o Senhor!" Insistindo ainda a mãe, a jovem insistia dizendo a mesma coisa, "vou curtir a vida pois sou jovem, depois vou para Deus!" Um dia um pastor estava na casa da mãe e foi lhe oferecido um café, nisso a filha chegou em casa. E o pastor tomando o café deixou um resto e disse, filha toma este café! Ela ficou indignada e revoltada, dizendo, pastor isto é resto! E ele falou, é o mesmo que você tem feito com Deus, querendo dar o resto de sua vida! Da mesma maneira que queremos o melhor, temos que dar o nosso melhor. 26.8.2008

 

Passeando com sua avó em um shopping, o menino se encantava com os brinquedos expostos nas vitrines. Vendo o interesse do neto, a senhora lhe perguntou: "O que você gostaria de ganhar de presente no Natal, querido?" "Ah, vovó," respondeu o garoto, "eu queria ganhar dois caminhões, dois carrinhos com controle remoto e dois video-games." A avó, intrigada com o pedido do neto, indaga-lhe: "Mas por que você quer dois brinquedos de cada?" "Assim, vovó, eu poderei compartilhar com meus amiguinhos os brinquedos que ganhar." 2.9.2008

 

Recentemente, a minha esposa visitou um fisioterapeuta para obter alívio da dor no seu pescoço e ombros. Quando o problema não desapareceu, depois de diversas visitas, ela perguntou o porquê. Foi-lhe dito que sua dor era devido a alguns "músculos preguiçosos do pescoço". Aparentemente, os músculos do pescoço que deveriam sustentar sua cabeça erguida, não estavam desempenhando a sua função. Como resultado, os músculos dos ombros tinham que assumir a função de sustentar sua cabeça. Isso resultou num enrijecimento não natural dos músculos dos ombros. A solução? Foram prescritos exercícios para treinar os músculos do seu pescoço a fazer o que tinham sido destinados a fazer. De certa forma, o problema dela descreve o que acontece no corpo de Cristo. Deus deu a cada cristão dons que devem ser exercitados para o bem comum da igreja (1 Coríntios 12:7). Mas quando um deles não faz sua parte, outros membros menos dotados naquelas áreas têm que ajudar. Embora o corpo de Cristo continue a funcionar, não está funcionando da melhor forma. Ao nosso redor existem cristãos com trabalho em excesso! Deus quer que usemos nossos dons espirituais para o benefício dos outros, na igreja. Quando trabalhamos juntos, mantemos o corpo forte. Que dom Deus deu para você que pode ser utilizado e ajudar a aliviar a tensão que a igreja está sofrendo? C. P. Hia 24.10.2008

 

Recentemente, a minha esposa visitou um fisioterapeuta para obter alívio da dor no seu pescoço e ombros. Quando o problema não desapareceu, depois de diversas visitas, ela perguntou o porquê. Foi-lhe dito que sua dor era devido a alguns "músculos preguiçosos do pescoço". Aparentemente, os músculos do pescoço que deveriam sustentar sua cabeça erguida, não estavam desempenhando a sua função. Como resultado, os músculos dos ombros tinham que assumir a função de sustentar sua cabeça. Isso resultou num enrijecimento não natural dos músculos dos ombros. A solução? Foram prescritos exercícios para treinar os músculos do seu pescoço a fazer o que tinham sido destinados a fazer. De certa forma, o problema dela descreve o que acontece no corpo de Cristo. Deus deu a cada cristão dons que devem ser exercitados para o bem comum da igreja (1 Coríntios 12:7). Mas quando um deles não faz sua parte, outros membros menos dotados naquelas áreas têm que ajudar. Embora o corpo de Cristo continue a funcionar, não está funcionando da melhor forma. Ao nosso redor existem cristãos com trabalho em excesso! Deus quer que usemos nossos dons espirituais para o benefício dos outros, na igreja. Quando trabalhamos juntos, mantemos o corpo forte. Que dom Deus deu para você que pode ser utilizado e ajudar a aliviar a tensão que a igreja está sofrendo? 29.10.2008

 

J. Sidlow Baxter disse: “Uma das primeiras coisas que acontece quando alguém está realmente cheio do Espírito não é falar em línguas, mas, sim, aprender a dominar a língua que já tem”.5.2.2009

 

Conta-nos uma antiga parábola que, certo dia, um alfinete e uma agulha encontraram-se numa cesta de costuras. Estando os dois desocupados, começaram a discutir, porque cada um se considerava melhor e mais importante do que o outro: "Afinal, qual é mesmo a sua utilidade?" disse o alfinete para a agulha. "E como pensa você vencer na vida se não tem cabeça?" "A sua crítica não tem a menor procedência" respondeu a agulha rispidamente. "Responda-me agora: de que serve a cabeça se não tem olho? Não é mais importante poder ver?" "Ora, e de que lhe vale seu olho se há sempre um fio impedindo a sua visão?" retrucou o alfinete. "Pois fique sabendo que mesmo tendo um fio atravessando o meu olho, eu ainda posso fazer muito mais do que você." Enquanto se ocupavam nessa discussão, uma senhora pegou a cesta de costura, desejando coser um pequeno rasgo no tapete. Enfiou a agulha com linha bem resistente e se pôs a costurar o mais rápido que pôde. De repente a linha emaranhou-se, formando uma laçada que dificultou o acabamento da costura. Apressada, a mulher deu um puxão violento que rompeu o olho da agulha. Tendo que ultimar aquele trabalho, ela amarrou a linha na cabeça do alfinete e conseguiu dar os pontos finais; mas na hora de arrematar, a cabeça do alfinete se desprendeu. Impaciente com tudo, jogou a agulha e o alfinete na cesta e saiu resmungando. Ambos estavam enganados: o alfinete e a agulha! Nenhum dos dois era insubstituível. Nenhum dos dois era perfeito. Nenhum dos dois era tão versátil que pudesse julgar-se com o direito de se considerar melhor do que o outro. "Porque também o corpo não é um membro, mas muitos. Se o pé disser: Porque não sou mão, não sou do corpo; nem por isso deixará de ser do corpo. E o olho não pode dizer à mão: Não tenho necessidade de ti." (1 Coríntios 12:15). Josué Mello Salgado 30.4.2009

 

Ninguém jamais foi honrado por aquilo que recebeu. Honra é a recompensa por aquilo que damos. Calvin Coolidge 27.10.2009

 

Conta-se que certo homem após ter feito compras em um supermercado, estava dirigindo-se para casa, quando no caminho começou uma chuva bem forte. A distância era curta, 2 km. apenas, e a chuva continuava cada vez mais forte. Aí, em dado momento, o limpador do pára-brisa parou. Ficou impossível dirigir. Teve que parar o carro no primeiro posto e esperar até que a chuva passasse. Então ficou a pensar: como uma pequena vareta, com uma borracha na borda, era tão importante naquela hora. O carro era novo, forte, possante, uma verdadeira máquina para vencer distâncias. Mas estava impedido de cumprir o seu papel. Ridículo! Uma máquina tão forte não podia fazer nada sem o auxílio daquele pequeno instrumento. Assim é a Igreja de Cristo. Somos uma máquina possante. O Espírito Santo é o motor forte desse carro. Estamos destinados a percorrer grandes distâncias em busca das almas perdidas. Mas, se um membro bem pequeno e simples se recusar a trabalhar na hora certa, provavelmente, a Igreja deixará de avançar naquele momento. A palavra diz: “... que parecem ser os mais fracos são necessários” - (I Coríntios 12.22).15.10.2009

 

J. M. Baker, um missionário trabalhando no norte da Índia, narra o seguinte fato: Um velho homem, residente a cerca de 56 quilômetros da cidade, tinha um grande desejo de oferecer algo para Jesus. Era muito pobre e a única coisa que possuía para dar ao Senhor era uma grande abóbora que ele cercou de cuidados e protegeu de ladrões por muito tempo. Mas, como ele faria para dar sua oferta ao Senhor? A aldeia não contava com nenhum professor cristão para lhe dizer o que fazer e o evangelista que atendia aquela região não estaria de volta em curto prazo. Ele resolveu ir até a cidade e entregar a abóbora ao missionário. Certamente ele saberia o que fazer. Na Índia, aquela abóbora valia, na época, o equivalente a quatro centavos. O velho homem caminhou  mais de 110 quilômetros sendo que a metade desta distância ele fez com um peso de 9 quilos na cabeça e  mais o peso da comida que levou para sua viagem. Tudo isso para oferecer ao Senhor um presente de "quatro centavos." Esta história hilariante pode nos levar a pensar que todo o esforço daquele velho homem foi inútil.  Mas, terá sido mesmo? Teria o nosso Deus reparado no valor financeiro da sua oferta? Não teria, na realidade,  valido mais do que muitos grandes tesouros guardados em palácios? O peso que ele carregou em sua longa jornada, as dores nos pés pelo muito andar e no corpo por já estar idoso, com certeza nem foram notados por aquele homem. Eu não estava lá mas ao ler esse testemunho posso entender que o seu retorno ao lar foi acompanhado de um largo sorriso em seu rosto e um coração exultante de grande regozijo. Ele havia  conseguido levar seu presente  para Deus. Seu sonho havia sido realizado. Ele estava feliz. Ele estava muito feliz! Eu digo isso porque, apesar de estar completamente cego, há dezessete anos, sinto grande prazer cada vez que escrevo e envio uma mensagem para meus irmãos e amigos. Muitas vezes, ao terminar, sinto as lágrimas correrem sobre meu rosto. Grito baixinho dentro de mim: "Aleluia!" Louvo a Deus porque apesar de oferecer muito pouco em relação ao muito que Ele me dá, sei que Ele olha para mim e sorri satisfeito. Eu sinto que Ele, do meu pouco, fará grandes maravilhas. Ofereça também algo ao Senhor. Seja valioso ou não, mas faça-o de todo o coração.27.10.2009